Fitoterapia na Prevenção de Doenças

Fitoterapia na Prevenção de Doenças


Sempre quando nos referimos a terapias estamos imaginando uma pessoa doente e que esteja precisando de tratamento. Por isso quando falamos de fitoterapia logo vem à mente um doente que está se tratando com plantas, utilizando um xarope de Guaco, uma cápsula de Carqueja, uma tintura de Pata-de-vaca ou até mesmo uma xícara de chá de Capim-limão. Fitoterapia pode ser muito mais que isso.

Na verdade, este conceito bem arraigado é típico de nossa cultura ocidental, onde entramos com um tratamento quando já estamos debilitados ou já estamos com alguma doença instalada em nosso organismo. O tratamento vem para combater aquele mal ou então fortalecer o organismo. Na forma oriental de pensar a relação corpo e saúde é bem diferente. Procura-se estar em eterno tratamento, não para curar, mas para manter a saúde. Ou será que é mais sábio esperar adoecer para correr atrás do tratamento?

Revisando nosso modo de ser e pensar, vamos então apresentar as plantas medicinais com um outro enfoque, ou seja, como forma de manter nossa saúde. Podemos fazer isso de forma agradável e simples, seguindo o modelo de prevenção que os indianos utilizam há pelo menos 4.000 anos. Se usarmos diariamente as ervas medicinais apropriadas em nossa alimentação, poderemos ao mesmo tempo deixar os pratos mais saborosos e também muito mais saudáveis. Por que será que os pratos da culinária indiana são tão condimentados e picantes? Não é apenas uma questão de paladar, mas uma forma de equilibrar as energias do organismo e assim evitar o surgimento das doenças.

Na Europa medieval, as plantas condimentares eram utilizadas também como medicinais. Em um levantamento mais profundo vamos descobrir que grande parte destas plantas foi primeiro utilizada como medicamento, sendo aplicada como condimento para dar um pouco mais de vida aos alimentos ou até mesmo para conservá-los. Estamos falando aqui de plantas comuns, como Alho, Cebola, Cúrcuma, Gengibre, Canela, Cravo, Orégano, Manjericão, Tomilho, Zimbro, Funcho, Erva-doce, Baunilha, Pimenta-do-reino e tantas outras. Vamos então aprender um pouco a utilizar estas plantas em nossa alimentação diária, pois além de preparar pratos muito mais saborosos, vamos estar cuidando da manutenção de nossa saúde. Estaremos apresentando também receitas de como preparar os alimentos com as ervas tentando tirar um melhor proveito de todas as propriedades destas plantas que sempre instigaram a curiosidade das pessoas.

Convido os leitores a escrever dando sugestão de plantas aromáticas e apresentando receitas de como melhor utilizá-las. Estaremos sempre procurando mostrar as qualidades terapêuticas das plantas sugeridas, mostrando o porquê de sua utilização nos pratos sugeridos.

Publicado em Maio / 2002

– Açafrão (Crocus sativus L)

– Abacate (Persea americana)

– Alcachofra (Cynara scolimus)

– Alcaparra (Capparis spinosa L.)

– Alcaravia (Carum carvi)

– Alecrim (Rosmarinus officinalis)

– Alface (Lactuca sativa)

– Alfavacão (Ocimum gratissimum)

– Alfazema (Lavandula officinalis)

– Alho (Allium sativum)

– Alho-poró (Allium porrum)

– Anis Estrelado (Illicium verum)

– Babosa (Aloe vera)

– Barbatimão (Stryphnodendron adstringens)

– Bardana (Arctium lapa)

– Baunilha (Vanilla fragrans)

– Boldo Brasileiro (Plectranthus barbatus)

– Boldo do Chile (Peumus boldus)

– Cúrcuma (Curcuma longa)

– Caapeba (Pothomorphe umbellata)

– Camomila (Matricaria chamomilla)

– Canela (Cinnamomum cassia)

– Capim Limão (Cymbopogon citratus)

– Cardamomo (Elettaria cardamomum)

– Carqueja (Baccharis trimera)

– Cavalinha (Equisetum arvensis)

– CEBOLA (Allium cepa)

– Cebolinha Francesa (Allium shoenoprasum)

– Cebolinha Verde (Allium fistulosum)

– Cerefólio (Anthriscus cerefolium)

– Chá Verde / Chá Preto

– Chapéu de Couro (Echinodorus macrophyllus)

– Cipó Mil Homens (Aristolochia cymbifera)

– Coentro (Coriandrum sativum)

– Cogumelo do Sol (Agaricus blazei)

– Cominho (Cuminun cyminum L.)

– Copaíba (Copaifera langsdorfii)

– Cravo da Índia (Eugenia caryophillata)

– Depressão ou Falta de Fé ?

– Dilênia (Dillenia indica)

– Echalote (Allium ascalonicum)

– Eclipta (Eclipta Alba)

– Embaúba (Cecropia glaziovii)

– Endro (Anethum graveolens)

– Equinácea (Echinacea angustifolia)

– Erva Baleeira (Cordia verbenacea)

– Erva Doce / Anis Verde (Pimpinella anisum)

– Ervas e a Prosperidade

– Estévia, a planta mel

– Estragão (Artemisia dracunculus)

– Fáfia (Pfaffia paniculata)

– Fitoterapia na Prevenção de Doenças

– Fitoterapia na Prevenção de Doenças

– Funcho (Foeniculum vulgare)

– Gengibre (Zingiber officinale)

– Gengibre (Zingiber officinale)

– Gergelim (Sesamum indicum)

– Ginkgo (Ginkgo biloba)

– Ginseng (Panax Ginseng)

– Goiaba (Psidium guajava)

– Goiaba – O santo remédio de suas folhas

– Graviola (Annona muricata)

– Hamamelis (Hamamelis virginiana)

– Hortelã (Mentha crispa)

– Ipê Roxo (Tabebuia avellanedae)

– Louro (Laurus nobilis)

– Macela (Achyrocline satureoides)

– Mamão (Carica papaya L.)

– Mamona (Ricinus communis)

– Mandukparni

– Manjericão / Alfavaca (Ocimum basilicum)

– Manjerona (Origanum majorana)

– Menta (Mentha piperita)

– Mil Folhas (Achillea millefolium)

– Momentos Atuais

– Mostarda (Brassica nigra)

– Nó de Cachorro (Heteropterys aphodisiaca)

– Noz Moscada (Myristica fragans)

– Orégano (Origanum vulgare)

– Panacéia (Solanum cernuum)

– Pata de Vaca (Bauhinia forficata)

– Pimenta da Jamaica (Pimenta dioica)

– Pimenta do Reino (Piper nigrum)

– Pimentas (Capsicum spp)

– Quebra-Pedra (Phyllanthus spp)

– Radiestesia

– Raiz-forte (Armoracia rusticana)

– Romã (Punica granatum L.)

– Sálvia (Salvia officinalis)

– Salgueiro (Salix alba)

– Salsa (Petroselinum crispum)

– Segurelha (Satureja hortensis / S.montana)

– Sucupira

– Sucupira (Pterodon emarginatus)

– Tanchagem (Plantago maggior)

– Tomilho (Thymus vulgaris / Labiatae)

– Tratamento de Insônia com Plantas Medicinais

– Urucum (Bixa orellana L.)

– Valeriana (Valeriana officinalis)

– Wasabi (Wasabi japonica)

– Yacon (Polymnia sonchifolia)

– Zimbro (Juniperus communis)

disponivel em

http://www.oficinadeervas.com.br/repositorio/_artigos.php?subaction=showfull&id=1149191247&archive=&start_from=&ucat


Uma resposta

  1. Gostaria de obter receita para ostiomelite.
    Receita do óleo de casca de laranja da terra.
    Grato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: