A Guerra Civil em Santa Catarina é só um exemplo.

A Guerra civil em Santa Catarina é só um exemplo.

 

Falta de segurança pública. Acentuado tráfico de drogas entorpecentes, prostituição, assaltos a estabelecimentos são constantes. Todos, padaria, farmácia, brechó, são assaltados. Em São Jose, Serraria. Trabalhadores, estudantes e comerciantes com medo. E tristesa.

 

 20e30 h o farmacêutico veio entregar-me medicação. Disse-lhe

 

‘”por que o Senhor veio agora, esta chovendo”… eu na cama, ele colocou a mão sobre a minha cabeça – falou “tenha bons sonhos” ‘”            

Cristiane Rozicki

—————————

15/11/2012 20h52 – Atualizado em 15/11/2012 21h14

 

Polícia de SC reforça patrulhamento para combater violência

 

Desde segunda-feira, 20 ônibus foram incendiados em 11 cidades, e 32 suspeitos já estão presos.

A polícia de Santa Catarina reforçou o patrulhamento para combater a violência no estado. Desde segunda-feira, 20 ônibus foram incendiados em 11 cidades, e 32 suspeitos já estão presos.

Este foi o quarto dia de ataques em Santa Catarina. Na Zona Norte de Florianópolis, os bandidos incendiaram mais um ônibus. O fogo atingiu ainda carros estacionados ao lado.

“Você não consegue fazer nada, você vê seu bem sendo destruído e não pode fazer nada”, desabafou a gerente administrativa Elides Becker.

Uma ESCOLA também foi DESTRUÍDA. A polícia suspeita que o incêndio faça parte da onda de atentados que começou na segunda-feira. Em todo o estado subiu para 11 o número de municípios atingidos pelos ataques.

No Vale do Itajaí, outros dois ônibus também foram incendiados; um na noite desta quarta, em Gaspar; e outro na manhã desta quinta, em Itajaí. O fogo só não atingiu as casas vizinhas porque um mecânico teve a coragem de dirigir o ônibus em chamas.

“Estava bem na fronte de casa, o fogo se alastrando”, lembrou o mecânico Marcelo Lima Leite.

Em Palhoça, na Grande Florianópolis, mais um ônibus foi queimado, duas pessoas ficaram feridas e foram para o hospital em estado de choque.

Na cidade vizinha São José, os bandidos dispararam contra uma base de monitoramento da Polícia Militar. Três tiros atingiram o prédio.

Para garantir a segurança, todo o efetivo da Polícia Militar em SC está em alerta. Só nas ruas de Florianópolis são 500 policiais. Os ônibus que saem do maior terminal de passageiros da cidade circulam com escolta, principalmente para o norte da ilha, onde aconteceu a maioria dos ataques.

“A Polícia Militar está presente não só nos terminais, nas garagens, como também nos bairros, protegendo este importante sistema que é o sistema de transporte”, afirmou o tenente coronel Araújo Gomes, comandante do Batalhão da PM.

A Secretaria de Segurança Pública admitiu que as ordens para os atentados podem ter saído dos presídios.

“É a reação ao combate duro do estado em relação ao TRÁFICO de DROGAS, e também, neste momento, há muitos aproveitadores, há um vandalismo que se executa neste momento”, declarou Raimundo Colombo (PSD), governador de Santa Catarina.

Na tarde desta quinta, dois suspeitos de botar fogo em um ônibus na cidade catarinense de Itapema trocaram tiros com a polícia. Um deles morreu e o outro fugiu.

 http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2012/11/policia-de-sc-reforca-patrulhamento-para-combater-violencia.html

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: