A Vitamina D Tem Sido Utilizada Para Bloquear O Crescimento Do Cancro Da Mama.- Vitamin D has been shown to block breast cancer growth.

Baixos níveis de vitamina D

As duas formas mais confiáveis ​​para aumentar o seu nível de vitamina D: obter exposição à luz solar mais direta e tomar suplementos de vitamina D3. Também é impossível uma overdose de vitamina D por exposiçao ao sol. A exposição solar oferece benefícios da vitamina D.

 Cristiane Rozicki

———————-

http://www.breastcancer.org/risk/factors/low_vit_d

PACIENTE COM CÂNCER MAMA

A VITAMINA D TEM SIDO UTILIZADA PARA BLOQUEAR O CRESCIMENTO DO CANCRO DA MAMA.

O câncer de mama é comum entre as mulheres. Nos Estados Unidos, a doença afeta cerca de 230 mil mulheres por ano em comparação com 2000 homens. Aproximadamente 20% das pessoas diagnosticadas com câncer de mama morrem da doença. As taxas de câncer de mama são muito maiores em países ocidentais do que nos países em desenvolvimento.

moça1

OS FATORES DE RISCO

Dos fatores de risco associados com muitos câncer de mama, o mais importantes são:

• exposição estrogénio Lifetime – Isto inclui estrogénio produzido no corpo e tomado oralmente.

• A alta ingestão de carne e laticínios – Comer uma dieta rica em produtos de origem animal no início da vida faz com que o organismo a produzir mais estrogênio durante o curso de uma vida.

• O consumo de álcool – Estudos têm mostrado uma ligação entre álcool e câncer de mama.

• fatores reprodutivos – Geralmente, as mulheres que têm menos filhos ou não tem filhos, têm um maior risco de tumor.

• trabalho noturno – a exposição à luz elétrica Mais à noite reduz a produção de melatonina. Este hormônio pode diminuir o risco de câncer de mama.

Exposição à luz solar e risco de câncer de mama

O câncer de mama é diagnosticado com menos frequência no verão, quando há mais luz solar. Também é diagnosticado com menos frequência durante o Inverno, quando há menos luz solar, mas o corpo produz mais melatonina.

A luz do sol parece ter efeitos diretos e indiretos sobre o câncer de mama. A parte ultravioleta da luz solar estimula o organismo a produzir a vitamina D, que protege contra o câncer de mama. Mulheres que gastam uma quantidade moderada de tempo ao sol, especialmente durante o meio-dia, pode se beneficiar.

A melatonina tem sido encontrado para ser associado com um risco reduzido de cancro da mama. A melatonina é produzida pela glândula pineal, o qual está ligado aos olhos e é sensível à luz azul brilhante. À noite, quando não há luz azul brilhante, a melatonina é produzida. A melatonina é uma hormona que induz o sono e pode também reduzir o risco de cancro da mama. No entanto, durante os dias mais longos do verão, o corpo produz menos melatonina. Deste modo, a melatonina parece ajudar a reduzir o risco de cancro da mama no inverno.

mko2

O número de casos de cancro da mama e da taxa de diagnósticos variam com a quantidade de luz solar e as estações do ano. De acordo com os estudos do cancro da mama e outros, são:

• Menores taxas no ensolarado sudoeste dos Estados Unidos e as taxas mais elevadas no Nordeste mais escura

• As taxas mais elevadas em países que estão mais afastados do equador e recebem menos luz solar

Para câncer de mama, estão:

• diagnósticos a menos no verão e no inverno

• diagnósticos mais na primavera e no outono

A VITAMINA D E CÂNCER DE MAMA

m3e

CÂNCER DE MAMA FOI UM DOS PRIMEIRO CÂNCERES IDENTIFICADAS COMO DE PROTECÇÃO DA VITAMINA D. AGORA HÁ AMPLA EVIDÊNCIA DE QUE A VITAMINA D REDUZ O RISCO DE CÂNCER DE MAMA.

OS NÍVEIS DE VITAMINA D

OS NÍVEIS SANGUÍNEOS DE VITAMINA D SUPERIOR A 40 NG / ML (100 NMOL / L) REDUZ O RISCO DE CANCRO DA MAMA

Com base em estudos de observação de níveis de vitamina D no momento do diagnóstico do cancro da mama ou de um a três anos mais tarde, o risco de cancro da mama diminui rapidamente à medida que os níveis de vitamina D aumentam a partir de níveis muito baixos [menos de 10 ng / ml  até níveis de cerca de 50 ng / ml (150 nmol / l).

A taxa de cancro da mama parece diminuir em cerca de 30%, quando os níveis de vitamina D no sangue são superiores a 40 ng / mL (100 nmol / L) em comparação com os níveis mais baixos de 20 ng / mL (50 nmol / L).

COMO A VITAMINA D FUNCIONA

A vitamina D tem sido mostrado para bloquear o crescimento de tumores de cancro da mama. Forma ativa da vitamina D, calcitriol, proporciona inúmeros benefícios contra o câncer. Esta forma de vitamina D estimula as células a adapta ao seu órgão ou cometer apoptose. Calcitriol também limita fornecimento de sangue para o tumor e reduz a propagação do cancro.

PREVENÇÃO

A MAIORIA, MAS NÃO TODOS, OS ESTUDOS INDICAM NÍVEIS ELEVADOS DE VITAMINA D ESTÃO ASSOCIADOS COM UM MENOR RISCO DE CANCRO DA MAMA.

OS ESTUDOS QUE AS TAXAS DE INCIDÊNCIA DE CÂNCER DE MAMA EM COMPARAÇÃO COM OS NÍVEIS DE VITAMINA D NO SANGUE OU INGESTÃO ORAL DE VITAMINA D DETERMINADOS DENTRO DE TRÊS ANOS APÓS O DIAGNÓSTICO QUASE SEMPRE ENCONTRARAM MENOR RISCO

Tratamento

Um estudo realizado em Toronto descobriram que as mulheres com mais de 30 ng / ml (75 nmol / l) no momento do diagnóstico do cancro da mama tinham metade da taxa de mortalidade por todas as causas das pessoas com menos de 10 ng / ml (25 nmol / l). Desde que a vitamina D protege contra diversos tipos de doença, este achado provavelmente se relaciona com as mortes por câncer de mama e outras causas.

Um estudo realizado na Noruega descobriu que mulheres diagnosticadas no verão tinha uma melhor taxa de sobrevivência de dois anos do que aqueles diagnosticados no inverno. Os níveis de vitamina D são maiores no verão do que no inverno, o que pode explicar os resultados.

Página Última edição: 17 jul 2012

—————-

Breast cancer Patient friendly summary

Vitamin D has been shown to block breast cancer growth.

Breast cancer is common among women. In the United States, the disease affects about 230,000 females each year compared to 2,000 men. Approximately 20% of those diagnosed with breast cancer die from the disease. Breast cancer rates are much higher in Western countries than in developing countries.

Risk factors

Of the many risk factors associated with breast cancer, the most important include:

  • Lifetime estrogen exposure — This includes estrogen produced in the body and taken orally.

  • High intake of meat and dairy — Eating a diet high in animal products early in life causes the body to produce more estrogen during the course of a lifetime.

  • Alcohol consumption — Studies have shown a link between alcohol and breast cancer.

  • Reproductive factors — Generally, women who have fewer or no children have a higher tumor risk.

  • Night shift work — More electrical light exposure at night reduces melatonin production. This hormone may lower the risk of breast cancer.

Sunlight exposure and breast cancer risk

Breast cancer is diagnosed less often in summer, when there is more sunlight. It is also diagnosed less often in winter, when there is less sunlight, but the body produces more melatonin.

Sunlight appears to have both direct and indirect effects on breast cancer. The ultraviolet portion of sunlight stimulates the body to produce vitamin D, which protects against breast cancer. Women who spend a moderate amount of time in the sun, especially during midday, may benefit.

Melatonin has been found to be associated with reduced risk of breast cancer. Melatonin is made by the pineal gland, which is connected to the eyes and is sensitive to bright blue light. At night, when there is no bright blue light, melatonin is produced. Melatonin is a hormone that induces sleep and may also reduce the risk of breast cancer. However, during the longer days of summer, the body produces less melatonin. Thus, melatonin seems to help reduce the risk of breast cancer in winter.

The number of breast cancer cases and rate of diagnoses vary with the amount of sunlight and the seasons. According to breast and other cancer studies, there are:

  • Lower rates in the sunny Southwest United States and higher rates in the darker Northeast

  • Higher rates in countries that are further from the equator and receive less sunlight

For breast cancer, there are:

  • Fewer diagnoses in the summer and winter

  • More diagnoses in the spring and fall

Vitamin D and breast cancer

Breast cancer was one of the first cancers identified as having protection from vitamin D. Now there is ample evidence that vitamin D lowers breast cancer risk.

Vitamin D levels

Vitamin D blood levels greater than 40 ng/mL (100 nmol/L) reduce the risk of breast cancer by approximately 30%.

Based on observational studies of vitamin D levels at the time of breast cancer diagnosis or up to three years later, risk of breast cancer decreases rapidly as vitamin D levels increase from very low levels [less than 10 ng/ml (25 nmol/] out to 20-30 ng/ml, then decreases at a slower rate until levels about 50 ng/ml (150 nmol/l).

The rate of breast cancer appears to decrease by approximately 30% when vitamin D levels in the blood are greater than 40 ng/mL (100 nmol/L) compared to lower levels of 20 ng/mL (50 nmol/L).

How vitamin D works

Vitamin D has been shown to block the growth of breast cancer tumors. Vitamin D’s active form, calcitriol, provides numerous benefits against cancer. This form of vitamin D encourages cells to either adapt to their organ or commit apoptosis. Calcitriol also limits blood supply to the tumor and reduces the spread of cancer.

Prevention

Most, but not all, studies indicate high levels of vitamin D are associated with a lower risk of breast cancer. The studies that compared incidence rates of breast cancer with vitamin D blood levels or oral intake of vitamin D determined within three years of diagnosis nearly always found lower risk with higher level or intake. Those with longer times between measurement and diagnosis did not. The reason they did not is probably that since breast cancer can grow rapidly, even a drop of vitamin D for a short period can permit breast cancer to grow to where it can be detected.

Vitamin D and calcium

Studies have shown that the combination of vitamin D and calcium provides moderate breast cancer protection for premenopausal women. Calcium intake from diet or supplements of more than 1000 mg/day might be helpful.

Treatment

A study in Toronto found that women with more than 30 ng/ml (75 nmol/l) at time of breast cancer diagnosis had half the 12-year all-cause mortality rate of those with less than 10 ng/ml (25 nmol/l). Since vitamin D protects against many types of disease, this finding likely relates to deaths from breast cancer and other causes.

A study in Norway found that women diagnosed in summer had a better two-year survival rate than those diagnosed in winter. Vitamin D levels are higher in summer than winter, which may explain the findings.

There have not been any reported studies of treating women with breast cancer with vitamin D. However, some cancer treatment centers are now giving at least 5000 IU (125 mcg)/day vitamin D to patients with many types of cancer.

Need to know more? Read on with our detailed evidence summary for Breast Cancer.

Page last edited: 17 July 2012

*These statements have not been evaluated by the Food and Drug Administration

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: