Dr. Cícero Galli Coimbra – Doenças Autoimunes e Vitamina D

CALCIFEROL

Vitamina D Reportagem com Dr Cícero Galli Coimbra e Daniel Cunha

http://www.youtube.com/watch?v=c52mdUEHFaQ

 

Dr. Cícero Coimbra sobre Vitamina D, esclerose múltipla e todas autoimunes 2 de 2 TV Mundi .wmv

DR. CICERO

Dr. Cícero Galli Coimbra – Doenças Autoimunes e Vitamina D

http://www.youtube.com/watch?v=4uJt1361aGw

 

Mais de 10 anos de tratamento com a Vitamina D – Exijam que seus médicos se atualizem!

23/12/2012 — Celso Galli Coimbra

_ https://www.youtube.com/watch?v=fQN32qR_M2Y

POR 30 ANOS, EXTENSA REVISÃO DE TODA A PESQUISA ANTERIOR CONFIRMA QUE BAIXO NÍVEL DE VITAMINA D É UMA SENTENÇA DE MORTE

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2013/02/14/vitamina-d-reportagem-com-dr-cicero-galli-coimbra-e-daniel-cunha-na-rede-record/

Sobre este assunto, assista:

Vitamina D – por uma outra terapia

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/04/12/vitamina-d-por-uma-outra-terapia/

Assista também este outro vídeo, de 18 de junho  de 2012

Vitamina D – Sem Censura – Dr. Cicero Galli Coimbra e Daniel Cunha

https://www.youtube.com/watch?v=cIwIWim4hNM&list=UU5grjCGNi25VAR8J0eVuxVQ&index=1&feature=plcp

Tradução de Celso Galli Coimbra

Quarta-feira, 13 de fevereiro, 2013 por: Jonathan Benson,

Assista à série de vídeos, áudios e reportagens sobre a importância da Vitamina D:

Vitamina D3 – 10.000 UI diárias é vital para preservar à saúde

http://www.youtube.com/playlist?feature=edit_ok&list=PL301EAE2D5602A758

“As doses diárias de 10.000 unidades de colecalciferol devem ser tomadas por todas pessoas. Essa quantidade previne todas as doenças inclusive à autoimunidade. Com 10.000 unidades a pessoa sai da deficiencia de vitamina D. A dose de 1.000 unidades não tira as pessoas da deficiencia de vitamina D.’’ – Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., professor na Universidade Federal de São Paulo, Presidente do Instituto de Investigação e Tratamento de Autoimunidade

https://objetodignidade.wordpress.com/2013/01/21/as-doses-diarias-de-10-000-unidades-de-colecalciferol-devem-ser-tomadas-por-todas-pessoas-essa-quantidade-previne-todas-as-doencas-inclusive-a-autoimunidade-com-10-000-unidades-a-pessoa-sai/

http://www.youtube.com/watch?v=hv6tD3B0Nlo&list=PLeqEGmvbpULNrc8biL5LF9Mp3-WbJT2Ao

http://www.youtube.com/watch?list=PLeqEGmvbpULNrc8biL5LF9Mp3-WbJT2Ao&feature=player_detailpage&v=hv6tD3B0Nlo

Celso Galli Coimbra•231 vídeos

Publicado em 28/01/2013

Entrevista com Dr. Cícero Galli Coimbra e Marcelo Palma sobre o hormônio-vitamina D e esclerose múltipla no Programa Superação da TV Mundi com a apresentação de Luise Wischermann.

“As doses diárias de 10.000 unidades de colecalciferol devem ser tomadas por todas pessoas. Essa quantidade previne todas as doenças inclusive à autoimunidade. Com 10.000 unidades a pessoa sai da deficiencia de vitamina D. A dose de 1.000 unidades não tira as pessoas da deficiencia de vitamina D.’’ – Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., professor na Universidade Federal de São Paulo, Presidente do Instituto de Investigação e Tratamento de Autoimunidade

https://objetodignidade.wordpress.com/2013/01/21/as-doses-diarias-de-10-000-unidades-de-colecalciferol-devem-ser-tomadas-por-todas-pessoas-essa-quantidade-previne-todas-as-doencas-inclusive-a-autoimunidade-com-10-000-unidades-a-pessoa-sai/

OS PERIGOSOS LAÇOS DA MEDICINA COM A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA – VITAMINA D COMENTADO

25/12/2012 — Celso Galli Coimbra

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/25/os-perigosos-lacos-da-medicina-com-a-industria-farmaceutica-vitmina-d-comentado/

Entrevistas com Dr. Cícero Galli Coimbra sobre o hormônio-vitamina D e

http://www.youtube.com/playlist?list=PLeqEGmvbpULN2NfNfnLU6bYse4fp9alQS

Dr. Cícero Galli Coimbra – Esclerose múltipla e o tratamento com a vitamina D – 28.01.13 – TV Mundi

Dr. Cícero Galli Coimbra – Esclerose múltipla e o tratamento  com a  vitamina D – 28.01.13 – TV Mundi

 DR. CICERO

 

http://www.youtube.com/watch?v=hv6tD3B0Nlo&list=PLeqEGmvbpULNrc8biL5LF9Mp3-WbJT2Ao

 

http://www.youtube.com/watch?list=PLeqEGmvbpULNrc8biL5LF9Mp3-WbJT2Ao&feature=player_detailpage&v=hv6tD3B0Nlo

 

Celso Galli Coimbra·231 vídeos

Publicado em 28/01/2013

Entrevista com Dr. Cícero Galli Coimbra e Marcelo Palma sobre o hormônio-vitamina D e esclerose múltipla no Programa Superação da TV Mundi com a apresentação de Luise Wischermann.

 

“As doses diárias de 10.000 unidades de colecalciferol devem ser tomadas por todas pessoas. Essa quantidade previne todas as doenças inclusive à autoimunidade. Com 10.000 unidades a pessoa sai da deficiencia de vitamina D. A dose de 1.000 unidades não tira as pessoas da deficiencia de vitamina D.’’ – Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., professor na Universidade Federal de São Paulo, Presidente do Instituto de Investigação e Tratamento de Autoimunidade

https://objetodignidade.wordpress.com/2013/01/21/as-doses-diarias-de-10-000-unidades-de-colecalciferol-devem-ser-tomadas-por-todas-pessoas-essa-quantidade-previne-todas-as-doencas-inclusive-a-autoimunidade-com-10-000-unidades-a-pessoa-sai/

 

OS PERIGOSOS LAÇOS DA MEDICINA COM A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA – VITAMINA D COMENTADO

25/12/2012 — Celso Galli Coimbra

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/25/os-perigosos-lacos-da-medicina-com-a-industria-farmaceutica-vitmina-d-comentado/

Entrevistas com Dr. Cícero Galli Coimbra sobre o hormônio-vitamina D e 

http://www.youtube.com/playlist?list=PLeqEGmvbpULN2NfNfnLU6bYse4fp9alQS

Diet High in DHA improves Memory

Diet High in DHA improves Memory

Posted on July 4, 2012 by admin

http://amazingbiotech.com/2012/07/04/diet-high-in-dha-improves-memory/

Investigators Yves Sauve and their team discovered lab models fed by a high DHA had 30 percent of higher levels of DHA in the memory section of the brain,called as the Hippocampus,when compared to animal models. As we all know eating Fish is good for our memory but omega-3 fatty acid that makes our memory sharper. The Research team discovered that the memory cells in the Hippocampus could communicate better with each other and better relay messages when DHA level in that region of the brain were higher. Diet which is supplemented with DHA, results that additional store of omega-3 fatty acids are deposited in the brain. This explains why memory improves on a high-DHA diet.

http://amazingbiotech.com/2012/07/04/diet-high-in-dha-improves-memory/

http://amazingbiotech.com/2012/07/04/diet-high-in-dha-improves-memory/

neuronecomplex

DHA – nutriente essencial sendo imprescindível consumir durante todas as fases da vida

 F

DHA

 

Ácido Graxo essencial da família Ômega 3, denominado docosahexaenóico (DHA). É encontrado em grande quantidade nos peixes de águas frias e profundas.

DHA é considerado um nutriente essencial sendo imprescindível consumir durante todas as fases da vida, nós seres humanos não somos capazes de produzir bioquimicamente sendo assim ele deve ser adquirido através de uma dieta equilibrada ou pela suplementação.

ODOR FREE (sem gosto de peixe). ISENTO DE METAIS PESADOS. “IFOS (International Fish Oil Standards)”

 ——–

Dr. Cícero Galli Coimbra – Cura da Esclerose múltipla e doenças autoimunes – o tratamento com a vitamina D – 28.01.13 – TV Mundi

EMDr. Cícero Galli Coimbra – Cura da Esclerose múltipla e o tratamento com a vitamina D – 28.01.13 – TV Mundi

 

Assista a entrevista com Dr. Cícero Galli Coimbra e Marcelo Palma sobre o tratamento da esclerose múltipla com Vitamina D. EM ou MS tem cura e há meio simples e fácil de prevenir (terapia natural e de baixo custo).  Programa Superação, sobre o tratamento da esclerose múltipla – 28.01.13 – TV Mundi.

Dr. Cícero Galli Coimbra – Esclerose múltipla e vitamina D – 1 de 2 – 28.01.13 – TV Mundi

Celso Galli Coimbra· 234 vídeos

 http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=hv6tD3B0Nlo

 

Publicado em 28/01/2013

Entrevista com Dr. Cícero Galli Coimbra e Marcelo Palma sobre o hormônio-vitamina D e esclerose múltipla no Programa Superação da TV Mundi com a apresentação de Luise Wischermann.

Dr. Cícero Galli Coimbra – Esclerose múltipla e vitamina D – 2 de 2 – 28.01.13 – TV Mundi

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=LGqg2-PiO8M

Celso Galli Coimbra· 234 vídeos

Entrevista com Dr. Cícero Galli Coimbra e Marcelo Palma sobre o hormônio-vitamina D e esclerose múltipla no Programa Superação da TV Mundi com a apresentação de Luise Wischermann.

 

“As doses diárias de 10.000 unidades de colecalciferol devem ser tomadas por todas pessoas. Essa quantidade previne todas as doenças inclusive à autoimunidade. Com 10.000 unidades a pessoa sai da deficiencia de vitamina D. A dose de 1.000 unidades não tira as pessoas da deficiencia de vitamina D.’’ – Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., professor na Universidade Federal de São Paulo, Presidente do Instituto de Investigação e Tratamento de Autoimunidade

https://objetodignidade.wordpress.com/2013/01/21/as-doses-diarias-de-10-000-unidades-de-colecalciferol-devem-ser-tomadas-por-todas-pessoas-essa-quantidade-previne-todas-as-doencas-inclusive-a-autoimunidade-com-10-000-unidades-a-pessoa-sai/

 

OS PERIGOSOS LAÇOS DA MEDICINA COM A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA – VITAMINA D COMENTADO

25/12/2012 — Celso Galli Coimbra

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/25/os-perigosos-lacos-da-medicina-com-a-industria-farmaceutica-vitmina-d-comentado/

Entrevistas com Dr. Cícero Galli Coimbra sobre o hormônio-vitamina D

http://www.youtube.com/playlist?list=PLeqEGmvbpULN2NfNfnLU6bYse4fp9alQS

—-

5 FORMAS DE PROTEGER SEU CÉREBRO – Botar o ovo no cardápio e apanhar um pouco de sol todo dia é barato e fácil.

5 FORMAS DE PROTEGER SEU CÉREBRO.

5 FORMAS DE PROTEGER SEU CÉREBRO
DR. CICERO

Dr. Cicero Galli Coimbra, M.D., Ph.D.
Laboratory for Brain Ischemia Research, Head Department of Neurology and Neurosurgery Federal University of São Paulo.
Escola Paulista de Medcina

Revista Viva Saúde
http://revistavivasaude.uol.com.br/edicoes/23/artigo15542-1.asp

 

Manter a saúde mental é mais fácil do que muita gente imagina. As pesquisas dos últimos 10 anos apontam ser possível, sim, estimular a formação de novos neurônios (o que até 1998 a ciência considerava impossível!) e, conseqüentemente, afastar os riscos de doenças como Parkinson e mal de Alzheimer. Saiba como:

 

 

O que fazer para manter o corpinho em forma e poupar as articulações, as artérias, o fígado, os pulmões, o coração e tantos outros órgãos e sistemas vitais todo mundo está cansado de saber: atividade física regular, alimentação leve e balanceada, abandono de vícios e exames preventivos anuais. Agora, o desafio da ciência é desvendar os mistérios que ainda envolvem a complexa estrutura cerebral para encontrar saídas que também ajudem a conter ao máximo a morte natural dos neurônios e a preservar a saúde mental.

Essa preocupação faz sentido. Muitas pessoas passam a vida tentando conciliar uma rotina de trabalho estressante com aulas de ginástica, avaliações e consultas médicas, almoço e jantar saudáveis, algumas horas de lazer… E até conseguem, mas, quando finalmente conquistam o bem-estar físico, é a cabeça que começa a falhar, especialmente após os 60 anos.
 .

 

Segundo relatório publicado pela revista científica inglesa The Lancet, um novo caso de demência surge a cada sete segundos no mundo (o que inclui entre outros distúrbios progressivos e degenerativos do cérebro o mal de Alzheimer) – são quase 5 milhões de novas vítimas ao ano. E estima-se que esses números possam quadruplicar[/b, chegando a um total de 81 milhões de pessoas nas próximas três décadas.

Para piorar, soma-se a essa triste estatística o fato de neurocientistas e pesquisadores sempre terem alertado para a fragilidade das células nervosas cerebrais. Até mesmo nós, simples mortais, aprendemos que os neurônios vão morrendo com o passar dos anos e, uma vez danificados, não podem se regenerar. Resultado: a nossa única esperança de manter a lucidez na terceira idade seria mesmo continuar cuidando da saúde geral e fortalecendo as conexões (a comunicação entre as células nervosas do cérebro) para tentar ao menos adiar as conseqüências das perdas neuronais – uma vez que é impossível evitá-las.
A boa nova é que em 1998 uma notícia abalou o mundo da neurociência e, apesar de ainda causar controvérsias, sugere um futuro menos sombrio para a humanidade. Naquele ano, uma pesquisa publicada na revista Nature Medicine comprovava uma desconfiança que surgiu na década de 60 com os estudos realizados com ratos pela equipe do neurocientista norte-americano Fred Gage – e para a qual pouca gente deu importância na época -, a de que novos neurônios são produzidos diariamente no cérebro humano.
O fenômeno, que ficou conhecido como neurogênese, logo atraiu o interesse da comunidade científica que passou a acompanhar de perto todos os detalhes das descobertas.
Espécies de células-tronco localizadas ao redor dos ventrículos (as cavidades internas do cérebro por onde deságua o líquido encefalorraquidiano que vem da medula espinhal) são capazes de dar origem aos neurônios e todas as células do Sistema Nervoso Central (SNC). Chamadas de precursoras, essas ‘células-mãe’ se multiplicam toda vez que há perda de neurônio.
As células nervosas ‘recém-nascidas’, então, migram para suprir a região onde houve o dano e restabelecer o circuito nervoso por ali. Muitos desses ‘bebês’, porém, não conseguem chegar até o seu destino e morrem pelo caminho – é a apoptose, um acidente de percurso cujo risco de ocorrer aumenta 90% à medida que o indivíduo envelhece.
Segundo o neurologista Cícero Galli Coimbra, professor e pesquisador do Departamento de Neurologia e Neurocirurgia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), depois desses achados, cientistas de todo o mundo passaram a se empenhar na identificação dos fatores que, ao longo dos anos, podem estimular ou impedir tanto a multiplicação e o nascimento das células nervosas do cérebro quanto a apoptose.
“Agora, este será o melhor caminho para descobrir tratamentos mais eficazes e até a prevenção de doenças relacionadas às falhas e perdas de neurônios, como os males de Parkinson e Alzheimer”, acredita.
Para provar isso, o médico fez um levantamento de todos os estudos relacionados ao assunto e publicado em revistas científicas especializadas desde 98 e revelou para Viva Saúde pelo menos cinco atitudes que, comprovadamente, contribuem para equilibrar a perda e o nascimento de células nervosas e, conseqüentemente, preservar o nosso cérebro intacto por mais tempo.
Segundo o especialista, quem estiver falhando em algum dos fatores relacionados à neurogênese a seguir tem muito mais chance de desenvolver doenças neurodegenerativas no futuro, mesmo que não apresente nenhuma predisposição genética.
Confira:

1 FUJA DO ESTRESSE CRÔNICO

História de Experimentos Humanos com crianças e adultos – ideologia industrial e limpeza social
As pesquisas da década de 60 desenvolvidas pela equipe do neurocientista Fred Gage com ratos adultos já sugeriam uma possível influência do estilo de vida na saúde dos neurônios. Em animais criados em gaiolas cheias de brinquedos para explorar, observou-se um aumento de novas células nervosas no hipocampo (a área responsável pela capacidade de memorizar e aprender). Enquanto que naqueles ratinhos submetidos a estresse constante, uma condição desfavorável ao aprendizado, essa produção diminuiu significativamente.
“Hoje, já se sabe que as tensões diárias, a angústia e a preocupação antecipada – sensações comuns no dia-a-dia do homem moderno – são capazes de afetar também o cérebro do ser humano. Esse estresse crônico bloqueia a neurogênese no início, impedindo que as células precursoras se multipliquem”, explica o neurologista Cícero Galli, da Unifesp.
Vários estudos já comprovaram que, nestas condições, o cérebro só perde neurônios e não os repõe. O próprio médico, que já avaliou mais de 600 portadores de mal de Parkinson desde 2002, foi um dos pesquisadores a demonstrar isso. Em junho do ano passado, durante um congresso sobre a doença na Alemanha, ele apresentou resultados que indicavam o estresse como um dos principais responsáveis pela destruição das células nervosas produtoras da dopamina, matéria química que, entre outras funções, tem papel fundamental na manutenção das atividades motoras. Essa deficiência dificulta os movimentos, provoca rigidez muscular e causa os tremores em quem desenvolve esse distúrbio neurológico crônico e progressivo.
“Não há dúvidas de que a tensão emocional está envolvida em 95% dos casos de mal de Parkinson, que são exatamente aqueles que não têm uma causa genética. Sempre descubro um trauma por trás do problema. Uma das minhas pacientes, por exemplo, começou a manifestar os sintomas da doença algumas horas depois de presenciar a morte do marido em um assalto no trânsito”, conta o neurologista.
Além disso, aqueles que são tratados com a ajuda de psicoterapia têm apresentado excelentes resultados.
“Os que recebem instruções para relaxar e encarar a vida de forma mais simples e descontraída, em casos mais leves, podem deixar de apresentar os sintomas. Enquanto aqueles que se encontram em estágios finais da enfermidade, há ao menos uma melhora do quadro, com o desaparecimento de problemas urinários, bem como dos pesadelos e dificuldades de raciocínio – comuns nessa fase”, explica.

2 INCLUA GEMA DE OVO NO CARDÁPIO

ovo-gema

Depois da absolvição pela condenação injusta que o colocava como principal responsável por elevar as taxas de colesterol no sangue, o ovo ganha mais um motivo para ser consagrado como uma opção do bem e, agora, indispensável no prato. O fato é que a gema (e não a clara, é bom lembrar), mais do que qualquer outro alimento, oferece uma grande concentração de colina – uma substância que, agora se sabe, reveste a membrana das células (incluindo as células nervosas do cérebro) e que não é produzida pelo organismo.

“A presença dela é muito importante para a formação de novas células, incluindo as células nervosas cerebrais do adulto. Quanto mais colina no organismo, mais material para a formação da membrana celular”, explica o neurologista da Unifesp.

Mas não é só. Ela, colina, também forma acetilcolina, um neurotransmissor relacionado às funções de aprendizado e memória, e teria um papel importante na gravidez e no desenvolvimento do cérebro do feto. Os pediatras ainda não recomendam uma suplementação da colina durante a gestação, mas a importância dessa substância para o bebê foi sugerida em 1997, a partir dos resultados de estudos realizados pelo pesquisador Steven Zeisel, da Universidade da Carolina do Norte, dos Estados Unidos, com ratas de laboratório prenhas.

“Aquelas que recebiam suplemento de colina durante a gestação estimulavam muito mais o crescimento das células nervosas nos ratinhos.

 

 

Quando estes nasciam, eram testados em um labirinto e demonstravam muito mais agilidade para aprender o caminho e encontrar a saída do que aqueles nascidos de ratas que não haviam sido submetidas à suplementação”, conta Cícero Galli.

A importância dessa e de outras descobertas sobre as funções da colina tem sido tão grande que o governo norte-americano providenciou em 2004 a divulgação de um banco de dados (o USDA Database for the Choline Content of Common Foods) para verificar a presença da substância nos alimentos. Com a ajuda dele, é possível saber por exemplo que a colina também está presente em boas quantidades no fígado de boi e de frango, no gérmen de trigo e na soja. E que cinco gemas de ovo somam 682,4 mg de colina, enquanto só a clara equivale a 1,1 mg e 1 litro de leite a apenas 14 mg da substância.

“Vale lembrar que para oferecer todos os benefícios para o cérebro precisaríamos de pelo menos 500 mg de colina por dia, o que pode ser obtido com uma cardápio variado”, alerta o neurologista.

3 TOME SOL NA MEDIDA CERTA

SBEXRF-00024364-001

Quem, afinal, em uma metrópole como São Paulo, não costuma sair de carro para trabalhar, estacionar no prédio onde fica a empresa, permanecer o dia inteiro trancafiado em um escritório com janelas escuras e anti-ruídos e voltar para casa ao anoitecer sem ver a cara do astro-rei ou perceber se a temperatura lá fora mudou?
É isso mesmo… A vida moderna nos transformou em ratos de esgoto ou de laboratório (como preferir), pelo menos no que diz respeito ao contato saudável com o sol. A conclusão foi do bioquímico Reinhold Vieth, da Universidade de Toronto, no Canadá. Ele avaliou os níveis de vitamina D (que para ser assimilada pelo organismo precisa da ajuda dos raios solares) em animais e comparou aos níveis encontrados no homem moderno. Foi então que percebeu a queda dessa vitamina.
E em que isso prejudica o cérebro?

“Além de ser essencial para a formação óssea, ela estimula a produção de NGF (fator de crescimento dos neurônios)”, esclarece Cícero Galli Coimbra.

Descrita em 1956, a NGF é uma proteína essencial para a sobrevivência e fortalecimento das células nervosas cerebrais, por ser capaz de enviar sinais contínuos para que um neurônio dirija suas terminações na direção de outro e forme uma sinapse (aproximação entre os neurônios, onde ocorrem várias reações químicas que ainda estão sendo estudadas). Quanto mais numerosas e fortes forem essas conexões (sinapses), menos ocorrências de apoptose e mais eficientes as capacidades cognitivas, como a memória.

4 TAURINA NA MEDIDA CERTA

Aminoácido de maior concentração nas células do corpo, a taurina tem a função de impedir a formação de coágulos no sangue, diminuir a quantidade de triglicérides (gordura) no sangue, fortalecer o endotélio (a camada de revestimento dos vasos sangüíneos e, agora se sabe, bloquear a apoptose (a morte dos novos neurônios).
O problema é que o organismo produz naturalmente esta substância, mas sua quantidade diminui bastante com o passar do tempo. Não é à toa que, segundo o neurologista Cícero Galli, alguns geriatras têm recomendado a seus pacientes com mais de 60 anos fórmulas para repor essa substância no organismo, embora isso ainda seja questionável. “Ainda não se sabe qual o mecanismo que envolve a taurina com a neurogênese, nem mesmo a quantidade necessária para cada pessoa”, alerta.

 

não  bbbbeba

5 EVITE O CONSUMO DE ÁLCOOL

Não é difícil imaginar por que bebidas alcoólicas e outras drogas podem afetar o cérebro. Essas drogas costumam afetar em cheio o Sistema Nervoso Central, provocando uma mudança no comportamento ao serem ingeridas. Quem bebe além da conta, por exemplo, pode ter tonturas, falta de coordenação motora, confusão mental, desorientação e até anestesia momentânea..

usuários de maconha apresentam alteração nos sentidos (visão, audição, olfato e tato), na cognição (pensamentos, memória e atenção) e até no humor.

“As células nervosas cerebrais, apesar de complexas, são extremamente frágeis e sensíveis. E, além de estimular a morte de neurônios, o uso dessas substâncias pode bloquear a formação de novos”, afirma o neurologista da Unifesp, Cícero Galli.

Vale lembrar que mesmo aqueles que dizem beber socialmente podem estar arriscando a sua saúde mental no futuro. De acordo com o especialista, ainda não se sabe qual a quantidade de álcool, por exemplo, já é capaz de interromper a neurogênese, até porque a sensibilidade do organismo varia de pessoa para pessoa.

NAO AO TABAGISMO

 aaimagem A queima do tabaco produz uma fumaça de gás carbonico, metais, nicotina, arsênico, mercúrio, cloro e outras substancias tóxicas. A terceira mão do fumante, é a que sofre acentuadamente os efeitos adversos do tabagismo e da neurotoxidade do mesmo, é a população de crianças inclusive as que estão em gestação. 

Fumar ‘emburrece’: mais uma razão para parar

02/01/2013 — Celso Galli Coimbra

Fumantes adultos na meia-idade tendem a ter performances mais pobres em testes de memória e raciocínio comparados com não-fumantes, aumentando a lista de razões para não fumar, disseram pesquisadores franceses nesta segunda-feira.

http://biodireitomedicina.wordpress.com/category/tabagismo/

– –

A terceira mão do fumante é o tabagista passivo. Neurotoxidade do tabagismo, mais razões para parar de fumar.

https://objetodignidade.wordpress.com/2009/08/15/a-terceira-mao-do-fumante-e-o-tabagista-passivo-neurotoxidade-do-tabagismo-mais-razoes-para-parar-de-fumar/

A queima do tabaco produz uma fumaça de gás carbonico, metais, nicotina, arsênico, mercúrio, cloro e outras substancias tóxicas. A terceira mão do fumante, é a que sofre acentuadamente os efeitos adversos do tabagismo e da neurotoxidade do mesmo, é a população de crianças inclusive as que estão em gestação.

Trata-se dos tabagistas passivos, a fumaça da queima do tabaco é potente neurotóxico que altera a estrutura do sistema nervoso. Estas alterações neurológicas são observadas na falta de atenção e memória, em deficiências que podem incluir autismo, dificuldades de aprendizagem, retardo mental e outros problemas neurocomportamentais, deficiencias cognitivas.

Cristiane Rozicki

Third-hand smoke: Another reason to quit smoking

 

Published: Monday, December 29, 2008 – 12:28

disponivel em

http://esciencenews.com/articles/2008/12/29/third.hand.smoke.another.reason.quit.smoking–

5 Passos para parar de fumar definitivamente

28/12/2012 — Celso Galli Coimbra

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/28/5-passos-para-parar-de-fumar-definitivamente/

– –

Mulheres fumantes perdem 14,5 anos de vida – The American College of Obstetricians and Gynecologists

27/12/2012 — Celso Galli Coimbra

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/27/mulheres-fumantes-perdem-145-anos-de-vida/

 

 – –

Vale tudo para prejudicar a saúde: Souza Cruz entra na Justiça para tirar do ar campanha antitabagismo

02/10/2012 — Celso Galli Coimbra

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/10/02/vale-tudo-para-prejudicar-a-saude-souza-cruz-entra-na-justica-para-tirar-do-ar-campanha-antitabagismo/

 

– –

Cigarro, um inimigo silencioso

27/07/2012 — Celso Galli Coimbra

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/07/27/cigarro-um-inimigo-silencioso/

– –

 

 

 

COMO A NEUROGÊNESE FOI DESCOBERTA

Na década de 60, Fred Gage e sua equipe de pesquisadores da Universidade da Califórnia (EUA), em experiências com canários machos adultos, notaram que toda vez que os pássaros cantavam havia proliferação de novos neurônios. Até então, a ciência acreditava que as células nervosas cerebrais não podiam nascer em cérebros adultos – no máximo, conseguiam amadurecer ou fortalecer suas conexões.

Para verificar a presença dos neurônios recém-nascidos, porém, não bastava um microscópio potente. Todos os neurônios são iguais e transparentes, e só com a ajuda desse equipamento não haveria como saber quais eram os novos habitantes do cérebro.

Nesse sentido, a tecnologia foi permitindo o uso de técnicas mais eficientes e que possibilitaram a realização de testes mais precisos a partir da década de 90 em ratos, sagüis e outros primatas adultos. A técnica utilizada para comprovar a neurogênese tinha como princípio deixar uma marca visível em todo o neurônio que nascia. Para isso, os cientistas lançaram mão de um marcador celular, a substância BrDu (bromodesoxiuridina), que tem a propriedade de ser captada pelas células que estão se reproduzindo no organismo. O BrDu fica colorido após reação química e pode ser destacado e visualizado por microscópio. Assim, ficaria comprovado o nascimento de neurônios. Mas como fazer essa experiência com humanos?
O BrDU é tóxico e seria necessário remover o cérebro para procurar com o microscópio os neurônios marcados. Ou seja, seria necessário conseguir doadores e aguardar sua morte. Mas em 1998 pesquisadores suecos tiveram uma grande chance. Como o BrDu estava sendo usado em pacientes terminais com câncer, para verificar a multiplicação de células cancerígenas e a existência de metástase, os cientistas explicaram a importância do experimento às famílias de cinco pacientes e obtiveram a permissão para remover o seus cérebros após a morte para analisar a região do hipocampo. Os resultados, finalmente, comprovaram a neurogênese e foram publicados na revista científica Nature. —

 

 Colina artigos

 

Prevention’s MS – Increase supplements – Info
10/02/2006
http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=7394899&tid=2447246423669484212&start=1

5 Formas de Proteger seu Cérebro
http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=7394899&tid=2456725596880382644

A colina é complemento alimentar preventivo de uma série de doenças neurodegenerativas. Esta substância está na gema do ovo. A gema deve ser consumida. E, hoje, os médicos esclarecem que a gema não provoca colesterol. É a colina a substância que mantém os neurônios vivos. Neurônios novos, células-troco, nascem ao redor dos ventrículos dentro do cérebro, todos os dias, com a informação pronta para manter e restabelecer o sistema nervoso. No entanto, os neurônios novos não podem sobreviver se há falta de colina.

Leia

5 FORMAS DE PROTEGER SEU CÉREBRO
Viva Saúde
http://revistavivasaude.uol.com.br/edicoes/23/artigo15542-1.asp

e

USDA Database for the Choline Content of Common Foods
disponível em:
http://www.nal.usda.gov/fnic/foodcomp/Data/Choline/Choline.pdf

Prepared by
Juliette C. Howe, Juhi R. Williams, and Joanne M. Holden

Nutrient Data Laboratory
Agricultural Research Service
U.S. Department of Agriculture

in collaboration with
Steven H. Zeisel and Mei-Heng Mar
Department of Nutrition, University of North Carolina, Chapel Hill, NC 27599

March 2004

 ——

Vitamina D3 – 10.000 UI diárias é vital para à saúde

CALCIFEROL“As doses diárias de 10.000 unidades de colecalciferol devem ser tomadas por todas pessoas. Essa quantidade previne todas as doenças inclusive à autoimunidade. Com 10.000 unidades a pessoa sai da deficiencia de vitamina D. A dose de 1.000 unidades não tira as pessoas da deficiencia de vitamina D.’’ – Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., professor na Universidade Federal de São Paulo, Presidente do Instituto de Investigação e Tratamento de Autoimunidade
https://objetodignidade.wordpress.com/2013/01/21/as-doses-diarias-de-10-000-unidades-de-colecalciferol-devem-ser-tomadas-por-todas-pessoas-essa-quantidade-previne-todas-as-doencas-inclusive-a-autoimunidade-com-10-000-unidades-a-pessoa-sai/

O Instituto da Autoimunidade, vinculado à terapia com o hormônio-vitamina D, foi criado pelo Dr. Cícero Galli Coimbra com a colaboração, inclusive, de ex-pacientes.

http://www.institutodeautoimunidade.org.br/

Vitamina D3 – 10.000 UI diárias é vital para à saúde

por Celso Galli Coimbra

Reproduzir tudo

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=PhRJelmTUpQ

 

https://www.youtube.com/playlist?list=PL301EAE2D5602A758

———-

 

Médico mostra em congresso que vitamina D tem efeito positivo no tratamento da esclerose múltipla

DR. CICEROO neurologista explica que hoje já se sabe cientificamente que a deficiência de vitamina D está associada à possível ocorrência e gravidade de todas as doenças ou manifestações autoimunitárias, incluindo, além da esclerose múltipla, a neurite óptica, a doença de Devic e a doença de Guillain-Barré. “Existem inúmeras fontes científicas que evidenciam a necessidade ética de não permitir que pessoas, portadoras ou não dessas doenças ou distúrbios, sejam mantidas com deficiência de vitamina D. Isso porque milhares de pessoas jovens, portadoras de esclerose múltipla, ficam cegas e paraplégicas apenas por falta de uma substância que poderia ser administrada sob a forma de gotas, em uma única dose diária, o que lhes devolveria a perspectiva certa de uma vida normal”, resume ele. 

 CALCIFEROL

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com título de especialista em medicina interna e neurologia pela mesma instituição, e em neurologia pediátrica pelo Jackson Memorial Hospital, da Universidade de Miami (EUA), Cícero Galli Coimbra – neurologista e professor do Departamento de Neurologia e Neurocirurgia da Universidade Federal de São Paulo – é um dos palestrantes do II Congresso Latino-Americano da World Society of Anti-Aging Medicine (WOSAAM), que aconteceu entre 19 e 21 de outubro, em São Paulo. Cícero Coimbra vai palestrar sobre o tema ‘Vitamina D: Doenças Autoimunes e Indicações Clínicas Expandidas’. 

Médico mostra em congresso que vitamina D tem efeito positivo no tratamento da esclerose múltipla

MARCELO EGYPTO NOTÍCIAS – SAÚDE

inShare

Cerca de 70% dos portadores da doença apresentam níveis muito baixos da vitamina, o que pode representar aumento de surtos neurológicos

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com título de especialista em medicina interna e neurologia pela mesma instituição, e em neurologia pediátrica pelo Jackson Memorial Hospital, da Universidade de Miami (EUA), Cícero Galli Coimbra – neurologista e professor do Departamento de Neurologia e Neurocirurgia da Universidade Federal de São Paulo – é um dos palestrantes do II Congresso Latino-Americano da World Society of Anti-Aging Medicine (WOSAAM), que acontece entre 19 e 21 de outubro, em São Paulo. Cícero Coimbra vai palestrar sobre o tema ‘Vitamina D: Doenças Autoimunes e Indicações Clínicas Expandidas’.

A vitamina D tem o poder de combater a pressão alta, controlar o peso e afastar o risco de tumores, além de ser essencial para prevenir e cuidar da osteoporose. Mas ela também vem sendo usada para tratar pacientes diagnosticados com esclerose múltipla. Defensor dessa proposta da terapia do uso da vitamina D, o pesquisador esclarece que mais de 800 portadores da doença estão recebendo doses do composto. “Os efeitos positivos da vitamina D no tratamento de doenças autoimunes, incluindo a esclerose múltipla, são inegáveis. Mas as doses de suplementação devem ser definidas individualmente, levando em consideração diversos fatores. Portanto, o tratamento deve ser realizado sempre sob supervisão médica, com o devido acompanhamento laboratorial”, salienta.

Essa terapia não se caracteriza como um tratamento alternativo, mas de reconstituir o mecanismo desenvolvido pela própria natureza, com o objetivo de evitar a agressão autoimunitária contra o organismo. Segundo o Dr. Coimbra, cerca de 70% dos portadores de esclerose múltipla têm níveis muito baixos de vitamina D, podendo apresentar mais surtos neurológicos. Por isso, ele defende que essa estatística deveria servir para orientar os médicos a receitarem a substância.

Pré-hormônio

No meio científico, a vitamina D é considerada um pré-hormônio, pois é transformada em diversas células no hormônio calcitriol, capaz de modificar 229 funções biológicas no organismo. Ela é produzida pelo próprio corpo, com o auxilio da luz solar. Quando há exposição ao sol, os raios ultravioletas são absorvidos e atuam com o colesterol, transformando-o num precursor da vitamina D, que atua como um hormônio mantendo as concentrações de cálcio e fósforo no sangue.

O neurologista explica que hoje já se sabe cientificamente que a deficiência de vitamina D está associada à possível ocorrência e gravidade de todas as doenças ou manifestações autoimunitárias, incluindo, além da esclerose múltipla, a neurite óptica, a doença de Devic e a doença de Guillain-Barré. “Existem inúmeras fontes científicas que evidenciam a necessidade ética de não permitir que pessoas, portadoras ou não dessas doenças ou distúrbios, sejam mantidas com deficiência de vitamina D. Isso porque milhares de pessoas jovens, portadoras de esclerose múltipla, ficam cegas e paraplégicas apenas por falta de uma substância que poderia ser administrada sob a forma de gotas, em uma única dose diária, o que lhes devolveria a perspectiva certa de uma vida normal”, resume ele.

O médico lembra ainda que pacientes tratados com a suplementação de vitamina D apresentam nível normal de qualidade de vida, mantendo-se livres das agressões do sistema imunológico, podendo ser considerados ex-portadores da doença.

Para saber mais sobre o II Congresso Latino-Americano da World Society of Anti-Aging Medicine (WOSAAM), acesse o site http://www.regencyeventos.com.br/evento/index.php?cod_eventos=23&cod_idiomas=1.

http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=93244%3Amedico-mostra-em-congresso-que-vitamina-d-tem-efeito-positivo-no-tratamento-da-esclerose-multipla&catid=47%3Acat-saude&Itemid=328&fb_action_ids=10151261286872911&fb_action_types=og.likes&fb_source=hovercard

—-

“As doses diárias de 10.000 unidades de colecalciferol devem ser tomadas por todas pessoas. Essa quantidade previne todas as doenças inclusive à autoimunidade. Com 10.000 unidades a pessoa sai da deficiencia de vitamina D. A dose de 1.000 unidades não tira as pessoas da deficiencia de vitamina D.’’ – Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., professor na Universidade Federal de São Paulo, Presidente do Instituto de Investigação e Tratamento de Autoimunidade

  317853_345790278850356_1694943354_n“As doses de 10.000 unidades podem ser utilizadas por todas as pessoas. As pessoas adultas que vivem em ambientes fechados, sem contato com o Sol, seja por causa do trabalho ou profissão, não só podem, devem usar 10.000 unidades todos os dias.”

https://objetodignidade.wordpress.com/2012/11/04/dr-cicero-galli-coimbra-doencas-autoimunes-e-vitamina-d-se-a-natureza-nao-precisasse-de-10-000-unidades-todo-o-dia-nao-formava-uma-quantidade-tao-grande-em-tao-poucos-minutos/

―――――――――

 

OS PERIGOSOS LAÇOS DA MEDICINA COM A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA – VITAMINA D COMENTADO

 

25/12/2012 — Celso Galli Coimbra

Acrescentamos ao texto, que os pacientes podem ser vítimas das doenças e dos remédios, tanto quanto da ausência de tratamento eficaz para doenças para as quais existem terapias de alta complexidade e custo fornecidas pela indústria farmacêutica [remédios não eficazes e que não curam] , QUANDO a eficácia do tratamento pode ser realizada a BAIXO CUSTO, tanto para o paciente como para o Governo, o maior pagador do SUS [o povo que paga o segundo mais alto índice de impostos do planeta e, em troca, vê e recebe o menor retorno social, nem saúde nem educação]. Soma-se a este fato a ausência de prevenção à saúde, que é a providência de mais baixo custo ainda. Neste triângulo das bermudas criado pela indústria farmacêutica e aceito pela Medicina perdem-se recursos públicos, dinheiro dos pacientes e familiares, saúde e vidas. É neste triângulo da doença e da morte que funcionam os laços mercantis com a indústria de remédios e a medicina.

A subtração – no Brasil – em especial do valor preventivo e terapêutico do hormônio conhecido por Vitamina D de baixíssimo custo, é um perfeito exemplo disto. Os medicamentos de alto custo da indústria farmacêutica para as doenças autoimunes precisam de PACIENTES VÍTIMAS da ganância desenfreada e da omissão das autoridades. O desinteresse das pessoas ainda saudáveis em informar-se em tempo sobre o que ocorre neste meio médico-farmacêutico, também contribui para o desastre da saúde.

Por Celso Galli Coimbra

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/25/os-perigosos-lacos-da-medicina-com-a-industria-farmaceutica-vitmina-d-comentado/

—-

 

“10.000 unidades todos os dias NÃO CAUSAM INTOXICAÇAO. Nos Estados Unidos, doses de 10.000 unidades de vitamina D são vendidas nas farmácias, sem receita médica. É assim porque a dose de 10.000 unidades não tem efeitos colaterais e não causa intoxicação” – Dr. Cícero Galli Coimbra  

 

O Dr. Cícero, quando questionado sobre a efetividade de seu tratamento afirmou categoricamente “[Com este tratamento com altas doses de vitamina D] a doença é desligada”.

Ele também afirma que muitos médicos têm resistência a adotar novos tratamentos e podem enfrentar interesses econômicos das empresas farmacêuticas, fabricantes de medicamentos de alto custo para o tratamento da esclerose múltipla.

http://biodireitomedicina.wordpress.com/category/instituto-da-autoimunidade-dr-cicero-galli-coimbra/

O que é Autoimunidade?

 

Autoimunidade é uma disfunção do nosso sistema imunológico, que deixa de reconhecer o próprio corpo e, ao invés de combater só vírus e bactérias “inimigas”, passa a atacar também células e tecidos saudáveis. 

As doenças autoimunitárias mais conhecidas são: esclerose múltipla, lúpus eritomatoso sistêmico, vitiligo, artrite-reumatóide, psoríase e diabetes mellitus tipo 1.

http://www.institutodeautoimunidade.org.br/o-que-e-autoimunidade.html

POR UM NOVO PARADIGMA DE CONDUTA E TRATAMENTO


O Instituto de Investigação e Tratamento de Autoimunidade (“Instituto de Autoimunidade”) foi criado no primeiro semestre de 2011, a partir da iniciativa deste médico signatário e de ex-pacientes (atualmente seus amigos) que apresentavam manifestações autoimunitárias, e que foram beneficiados com o tratamento a eles oferecido. Atualmente essas pessoas possuem um nível normal de qualidade de vida, mantendo-se livres das agressões do sistema imunológico, ao ponto de considerarem-se ex-portadores da doença e participam da direção do Instituto de Autoimunidade, idealisticamente voltados para viabilizarem o mesmo benefício para outros pacientes, especialmente os mais carentes.

http://www.institutodeautoimunidade.org.br/novo-paradigma.html

Cícero Galli Coimbra
Médico Internista e Neurologista
Professor Associado Livre-Docente da Universidade Federal de São Paulo
Presidente do Instituto de Investigação e Tratamento de Autoimunidade

 

Vitamina D3 – 10.000 UI diárias é vital para à saúde

por Celso Galli Coimbra

http://www.youtube.com/playlist?list=PL301EAE2D5602A758

http://www.youtube.com/watch?v=Pn-swcSA7As&list=PL301EAE2D5602A758&index=25

 

Vídeos com pessoas que estão curadas e fizeram o tratamento com a Vitamina D. Mais de 10 anos que este tratamento eficiente é usado e autoimunidade tem cura sim. 

 

Vitamina D – Por uma outra terapia (Vitamin D – For an alternative therapy)

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=erAgu1XcY-U       

 

Mais de 10 anos de tratamento com a Vitamina D – Exijam que seus médicos se atualizem!

23/12/2012 — Celso Galli Coimbra

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/23/mais-de-10-anos-de-tratamento-com-a-vitamina-d-exija-que-seus-medicos-se-atualizem/

—-

 

Traíção de uma Nação: autoridades de saúde dos EUA estão protegendo a deficiência de Vitamina D para beneficiar a Indústria Farmacêutica. Betrayal of a Nation: Why U.S. health authorities are keeping you vitamin D deficient and who stands to gain

15/01/2013 — Celso Galli Coimbra

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2013/01/15/traicao-de-uma-nacao-autoridades-de-saude-dos-eua-estao-protegendo-a-deficiencia-de-vitamina-d-para-benficiar-a-industria-farmaceutica-betrayal-of-a-nation-why-u-s-health-authorities-are-keeping-y/

VitaminD1__

A prescrição diária de 10.000 UIs de Vitamina D representaria para a indústria farmacêutica uma perda de 40% de uma receita de trilhões de dólares

Quem não gosta de ser enganado criminosamente, pagando por isto como preço a perda de sua saúde, e mesmo de sua vida, tanto quanto a de seus familiares e amigos, SAIBA que o mesmo que é denunciado nos EUA pelo Dr. John Cannell,  também alcança o Brasil com mais força ainda e com muito mais prejuízos.  

Pelos formidáveis interesses da Indústria Farmacêutica, os governos tudo fazem.  Vocês somente poderão se opor a isto SE buscarem e examinarem as informações que de fato lhes interessem sobre preservação e recuperação da saúde.  Leia com atenção o trecho de sua entrevista abaixo, considerando que o que está entre colchetes foi colocados por nós.  

Celso Galli Coimbra – OABRS 11352 – cgcoimbra@gmail.com

___

(…)  ”Nos dias atuais, a Internet é um campo fértil para se manter informado sobre este assunto  [HORMÔNIO-VITAMINA D E SUA FUNÇAO VITAL PARA A SAÚDE HUMANA],  embora não esteja à disposição de todos. Há centenas de artigos a respeito [HOJE, JÁ É DEZENAS DE MILHARES]  mas, infelizmente, muitos deles estão disponíveis somente em inglês. É o caso do texto do neuropsiquiatra John Cannell (http://goo.gl/LlQOK).

Ele acusa pesquisadores da indústria farmacêutica norte-americana de estarem tentando alterar a molécula da vitamina D, para transformá-la em uma substância  patenteável, ou seja, em remédio. A influência deles é tamanha, a ponto de se manterem unidos em comitês que “aconselham” o governo dos Estados Unidos a estabelecer a dose recomendável, entre 200 e no máximo 400 unidades por dia, bem aquém do necessário [SER, HOJE, EM DOSE PREVENTIVA 10.000 UI – NÃO MENOS].

Há orientação para não verificação de níveis de Vitamina D. E quando prescritas, são em dose ínfima perto da necessária em prevenção: 10.000 UI

 

Além de prescrever doses mínimas, a maioria dos médicos sequer solicita dosagem da vitamina D no sangue.

Dr. Cícero Galli Coimbra ressalta que muitos  especialistas, que acompanham pacientes com osteoporose e recomendam essa quantidade de suplementação, ficariam surpresos ao constatar o quão baixo é o nível dessa substância no sangue.

 

Cannell denuncia exatamente isso. “Só deixando a pele dos braços e das pernas expostas, uma pessoa de pele clara e jovem produz 10 mil unidades de vitamina D. Essa quantidade é 50 vezes maior do que aquela colocada à disposição do público como suplemento de vitamina D, com o título da dose recomendada. Caso fosse prescrito metade disso (5 mil) para toda a população adulta, haveria redução em 40% da ocorrência de novos casos de câncer, diz Dr. Cícero Coimbra.  

Isso representaria para a indústria farmacêutica uma perda de 40% de uma receita de trilhões de dólares”, completa. 
__

 

“Por um novo paradigma de conduta e tratamento” –  “Estamos vivendo uma defasagem entre o conhecimento científico e a prática médica” – Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., professor na Universidade Federal de São Paulo, Presidente do Instituto de Investigação e Tratamento de Autoimunidade

 https://objetodignidade.wordpress.com/2012/12/09/por-um-novo-paradigma-de-conduta-e-tratamento-estamos-vivendo-uma-defasagem-entre-o-conhecimento-cientifico-e-a-pratica-medica-dr-cicero-galli-coimbra/

Contato dos médicos que utilizam o protocolo de tratamento do Dr. Cícero Galli Coimbra com a Vitamina D3, o colecalciferol:

 
 CONSULTORIO DR. CÍCERO GALLI COIMBRA

Rua Doutor Diogo de Faria 775  – Sala 94

Vila Mariana – em frente ao Hospital Paulista

 

Como a exposição adequada ao sol estimula a produção de vitamina D pelo organismo.

http://www.facebook.com/VitaminaD.HormonioVital

__

  1. 1.    De todos os tipos de raio solar, apenas o ultravioleta B (UVB) está relacionado à síntese de vitamina D. Abundante entre as 10 h da manhã e as 16 h, é aquele que, em excesso, nos deixa vermelhos como pimentão, e o principal fator de risco para o câncer de pele.

 

“Sem duvida alguma, isso é uma coisa fundamental, o mundo tem que passar a tomar sol no horário correto, que basicamente é o horário em que a nossa sombra tem a mesma dimensão da nossa estatura. Este horário varia conforme a estação do ano e a latitude. O parâmetro adequado é olhar a sombra igual a extensão da sua estatura. Por isso então, por não deixar a pele do corpo exposto ao Sol, a deficiencia desse hormonio fundamental á saude traz doenças. É a deficiencia da vitamina D no organismo que leva a doenças.” – Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., professor na Universidade Federal de São Paulo, Presidente do Instituto de Investigação e Tratamento de Autoimunidade

 

2. Ao incidirem sobre as células da epiderme (a camada mais superficial da pele), os raios UVB transformam um derivado do colesterol, o 7-DHC, em colecalciferol (a vitamina D3), uma forma inativa da vitamina D.

 

3. Pela corrente sanguínea, a D3 chega ao fígado. Lá, ela é convertida em 25-hidroxivitamina D (ou 250HD). Uma curiosidade: para a análise da quantidade de vitamina D no organismo, os especialistas usam a dosagem de 250HD no sangue.

 

4. A 250HD chega então aos rins, onde é finalmente convertida em vitamina D. Dos rins, a vitamina vai para todo o organismo. Nos intestinos, estimula a produção de proteínas responsáveis pela absorção de cálcio pelos ossos.

 

5. Pesquisas recentes comprovam que praticamente TODOS os órgãos e tecidos do corpo possuem receptores para a vitamina D. Células da MAMA, PRÓSTATA, CÓLON, PULMÃO, CÉREBRO, entre outras, são capazes tanto de responder à ação da vitamina D que vem dos rins quanto de transformar a 250HD, proveniente do fígado, em vitamina D.

__

 

BIBLIOGRAFIA CIENTÍFICA INTERNACIONAL SOBRE O TRATAMENTO COM A VITAMINA D3, PARA A ESCLEROSE MÚLTIPLA (E.M.)  

 

“Sim. É importante que se diga, sobre a deficiencia deste hormonio esteroide no caso da esclerose múltipla, que hoje nós temos mais de 3.500 publicações medico-cientificas sobre este assunto. É importante que se diga, há 3 anos atrás existiam apenas 750 publicações acumuladas ao longo de 40 anos, e que hoje, em 3 anos, isso passou de 750 para mais de 3.500 publicações(1).” Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., neurocirurgião, neurocientista, professor na UNIFESP

 

(1) Bibiliografia científica internacional sobre Vitamina D para “multiple sclerosis” (“vitamin D”)– 60.724 títulos nesta data na SCIRUS

Acesse:  “multiple sclerosis” (“vitamin D”)

http://www.scirus.com/srsapp/search?q=%22multiple+sclerosis%22+%28%22vitamin+D%22%29&t=all&sort=0&g=s

23/07/2012 — Celso Galli Coimbra – OABRS 11352

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/07/23/bibiliografia-cientifica-internacional-sobre-vitamina-d-60-724-titulos-nesta-data-na-scirus/

__

 

POR UM NOVO PARADIGMA DE CONDUTA E TRATAMENTO

Por Dr. Cícero Galli Coimbra

Médico Internista e Neurologista

Professor Associado Livre-Docente da Universidade Federal de São Paulo

Presidente do Instituto de Investigação e Tratamento de Autoimunidade

http://www.institutodeautoimunidade.org.br/novo-paradigma.html

—-

 

A VITAL IMPORTÂNCIA DO HORMÔNIO CONHECIDO POR VITAMINA D3 PARA A PRESERVAÇÃO OU RECUPERAÇÃO DE SUA SAÚDE DE DOENÇAS AUTOIMUNES: EXIJAM QUE SEUS MÉDICOS SE ATUALIZEM

 

Por Celso Galli Coimbra

Celso Galli Coimbra – OABRS 11352
cgcoimbra@gmail.com
http://biodireitomedicina.wordpress.com/
https://www.facebook.com/celso.gallicoimbra
http://www.youtube.com/biodireitobioetica

 

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/23/vitamina-d3-e-sua-saude/
    

 

VITAMINA D e a RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO

 

”ATENÇÃO: o uso preventivo do hormonio Vitamina D3 é DIFERENTE do uso terapêutico deste hormônio-vitamina, que exige sempre a orientação e acompanhamento de médico com treinamento adequado para ser responsável pela avaliação caso a caso e a específica determinação de dosagem, em contrário haverá sérios danos à saúde.” (2)

 Celso Galli Coimbra

Advogado, OABRS 11352
cgcoimbra@gmail.com

(2) http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/23/vitamina-d3-e-sua-saude/

—————————-/

Cristiane Rozicki

Cr.rozicki@gmail.com

 

Sobre a injustiça de um jogo econômico das doenças crônicas entre farmácias e a medicina visando o enriquecimento e não a cura das pessoas. No entanto há conhecimento atual da ciência medica voltada á prevenção, recuperação e cura completa de doenças neurodegenerativas, infecciosas e autoimunitárias, males que mais matam, entre tantas outras doenças que têm acometido a população do planeta. Doenças que hoje podem ser tratadas com terapia natural por médicos atualizados e com “treinamento adequado para ser responsável pela avaliação caso a caso e a específica determinação de dosagem, em contrário haverá sérios danos à saúde(2).

 

Todas as pessoas que desenvolvem doenças autoimunitárias e neurodegenerativas, tais como Mal de Parkinson, Esclerose Multipla, Psoríase, Vitiligo, Lúpus, Tireoidite, Artrite Reumatoide, Alzheimer, Diabetes, Câncer e a própria Depressão, entre outras, como Esquizofrenia, distúrbio Bipolar, Asma, têm verificada em exames de sangue, o 25(OH)D3, a deficiencia de Colecalciferol, a Vitamina D3, a vitamina do Sol. 

 

Porem é bom que se tenha consciência disso, todas essas patologias têm cura e existe meio eficaz de prevenir doenças por meio natural. Através da substancia que existe em todos os seres vivos há mais de 500 milhões de anos, que é o hormônio esteroide que a pele exposta ao sol nos horários corretos produz, conhecida como vitamina D.

  

        A saúde e a vida das pessoas humanas têm forte relação com a possibilidade de acesso à informação e educação. Esta certeza é do conhecimento planetário. Há tratados internacionais que refletem a preocupação com a importancia de prevenir danos à saúde através da informação e educação. Entre as convenções internacionais referentes à possibilidade de prevenção de deficiências, bem como de agravamento de doenças, encontram-se o Programa de Ação Mundial para Pessoas Deficientes e a Convenção de Salamanca.

 

E a Lei Maior brasileira, que é o importante nesta questão tanto relativa à prevenção de doenças e a inviolabilidade do direito à vida quando ao acesso livre ao conhecimento e a informação, ainda não é cumprida. Da censura e descaso, existem fatos corriqueiros de larga omissão na oferta e divulgação da verdade cientifica assim como na prestação da assistência à saúde com recursos atuais de modo universal à toda população, como reza a Constituição do Brasil e o governo não a cumpre.

 

 

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988

TÍTULO II
Dos Direitos e Garantias Fundamentais
CAPÍTULO I
DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida,…

XIV – é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional;

DA SAÚDE

Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.

Art. 197. São de relevância pública as ações e serviços de saúde, cabendo ao Poder Público dispor, nos termos da lei, sobre sua regulamentação, fiscalização e controle, devendo sua execução ser feita diretamente ou através de terceiros e, também, por pessoa física ou jurídica de direito privado.

Art. 198. As ações e serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada e constituem um sistema único, organizado de acordo com as seguintes diretrizes:

I – descentralização, com direção única em cada esfera de governo;

II – atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo dos serviços assistenciais;

§ 1º. O sistema único de saúde será financiado, nos termos do art. 195, com recursos do orçamento da seguridade social, da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, além de outras fontes. (Parágrafo único renumerado para § 1º pela Emenda Constitucional nº 29, de 2000)

              Art. 195. A seguridade social será financiada por toda a sociedade, de forma direta e indireta, nos termos da lei, mediante recursos provenientes dos orçamentos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, e das seguintes contribuições sociais: (Vide Emenda Constitucional nº 20, de 1998)

 

 “Há evidencias de que a carencia de vitamina D3 provoca e agrava a esclerose múltipla” (Surtos da doença abalam o sistema nervoso central). Assim, também a deficiencia de Colecalciferol – Vitamina D3 – pode levar a problemas Cardiovasculares, AVCs, nascimento de crianças autistas, problemas na gestação, Alzheimer.

 

 “SIM, todas as pessoas, uma pessoa adulta deveria receber cerca de 10.000 UI por dia, o que significa uma quantidade 50 vezes acima da quantidade que normalmente é encontrada nas farmácias.”

 

“TEM SOLUÇÃO SIM, É preciso haver uma conscientização, que haja a percepção da comunidade, dos governantes, do publico em geral, em relação a gravidade dessa situação”.

 

– Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., neurocirurgião, neurocientista, professor na UNIFESP

 

Assista aos videos

Dr. Cícero Galli Coimbra – Doenças Autoimunes e Vitamina D

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=4uJt1361aGw

Vitamina D – Sem Censura – Dr. Cicero Galli Coimbra e Daniel Cunha

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=cIwIWim4hNM

—-

OS PERIGOSOS LAÇOS DA MEDICINA COM A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA – VITAMINA D COMENTADO

25/12/2012 — Celso Galli Coimbra

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/25/os-perigosos-lacos-da-medicina-com-a-industria-farmaceutica-vitmina-d-comentado/

Ingestão diária de vitamina D pode evitar doenças graves

23/12/2012 — Celso Galli Coimbra

__

Uma entidade de saúde britânica está lançando uma campanha para conscientizar a população do país para os benefícios da ingestão diária de suplementos de vitamina D, cuja deficiência está associada a inúmeras doenças.  (…)  estima-se que metade da população branca e 90% dos negros e asiáticos sofram de alguma doença relacionada à falta de vitamina D no organismo.

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/23/ingestao-diaria-de-vitamina-d-pode-evitar-doencas-graves/

A vital importância do hormônio conhecido por Vitamina D3 para a preservação ou recuperação de sua saúde de doenças autoimunes: exijam que seus médicos se atualizem

23/12/2012 — Celso Galli Coimbra

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/23/vitamina-d3-e-sua-saude/

Mais de 10 anos de tratamento com a Vitamina D – Exijam que seus médicos se atualizem!

23/12/2012 — Celso Galli Coimbra

__ 

https://www.youtube.com/watch?v=fQN32qR_M2Y

Entrevistas com Junia, Márcia e Nayra sobre a experiência da família com o tratamento da vitamina D. Nayra descobriu a Esclerose Múltipla com 10 anos e é provavelmente uma das pacientes mais antigas tratando a EM com o Dr. Cícero Galli Coimbra.

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/23/mais-de-10-anos-de-tratamento-com-a-vitamina-d-exija-que-seus-medicos-se-atualizem/

Assista à série de vídeos, áudios e reportagens sobre a importância da Vitamina D:

Vitamina D3 – 10.000 UI diárias é vital para preservar à saúde

http://www.youtube.com/playlist?feature=edit_ok&list=PL301EAE2D5602A758

***

                                                                   

VITAMINA D e a RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO

 __ ____ 

 

Cristiane Rozicki

Cr.rozicki@gmail.com

A medicina convencional, e desatualizada, continua a receitar medicamentos de altíssimo custo e que provocam graves efeitos colaterais nos pacientes que os utilizam. Este comercio, aliado a medicina, sem objeções legais, éticas e morais, continua a crescer no Brasil. A medicina convencional e as farmácias aliadas continuam fabricando produtos que não curam e que sequer são questionados ou nem é verificada sua eficácia na melhora da qualidade de vida das pessoas.

 

 

Qual foi o portador de esclerose múltipla que não recebeu a indicação e receita para comprar rebif, copaxone, interferon e fazer pulso terapias. Danoso à saúde, não trazem benefício prático ao doente, e garantem o crescimento financeiro de laboratórios e farmácias fabricantes daquelas drogas.

 

 

ALGUNS DADOS SOBRE OS EFEITOS COLATERAIS

 DOCS-A~1

Qual é a ética médica neste momento da aplicação das injeções?

 

Os mais graves reflexos do uso do interferon, segundo a pesquisa, são a ocorrência de surtos, novas infecções, a depressão e até o suicídio.  

 

As origens do que hoje é chamado de Interferon, são de 50 anos atrás, quando começaram estudos na Europa. O Interferon é um antiviral, conhecido como imunomodulador. Esta opção de manejo da imunidade do paciente de E.M. ainda encontra opositores entre os neurologistas norte-americanos. A utilização do Interferon pretenderia evitar a evolução da desmielinização. Vale notar que não há recuperação do que foi perdido.

 

 

Entre os efeitos colaterais pode ser o surgimento de necroses por causa das injeções, abalos ao fígado e medula óssea, e podem surgir infecções – bexiga por exemplo -, assim como pode acontecer novo ataque da E.M., novos surtos durante o tratamento com interferon podem ocorrer. Dor, mal estares, tonturas. Provoca depressão. Hoje, sabese que O TRATAMENTO CONVENCIONAL da esclerose múltipla, feito com o medicamento Interferon e corticosteroides, além de fisioterapia e fonoaudiologia, têm a redução em 30% das crises, surtos.(2)

 

Este é um exemplo de ‘terapia’ inadequada:

 

Depressão e ideias suicidas induzidas por interferon beta na esclerose múltipla.

 

Arq. Neuro-Psiquiatr. v.60 n.3B  São Paulo set. 2002

INTERFERON BETA-1A-INDUCED DEPRESSION AND SUICIDAL IDEATION IN MULTIPLE SCLEROSIS Marco Aurélio Lana-Peixoto1, Antônio Lúcio Teixeira Jr.2, Vitor Geraldi Haase3

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-282X2002000500007&lng=pt&nrm=iso&tlng=en

Arquivos de Neuro-Psiquiatria
ISSN 0004-282X versão impressa

O gasto mensal de um paciente com esclerose múltipla varia de R$ 2.300,00 a R$ 5.700,00 com o interferon-beta ou acetato de glatirâmer, segundo o portal da UNICAMP. MAS há relatos, entre os doentes, de que o gasto mensal com estas medicações, é de 8.000 a 11.000 reais.    

 

NO ENTANTO, ESTUDOS INDICAM QUE “A BASE DO TRATAMENTO não só da esclerose múltipla, mas de todas as doenças autoimunitárias, é a vitamina D3’’ explica Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., neurocirurgião, neurocientista. E há deficiencia de vitamina D CONFIRMADA EM EXAME DE SANGUE. E HÁ MODO DE PREVENIR – “SIM, todas as pessoas, uma pessoa adulta deveria receber cerca de 10.000 UI por dia, o que significa uma quantidade 50 vezes acima da quantidade que normalmente é encontrada nas farmácias”.

 

“TEM SOLUÇÃO SIM, É preciso haver uma conscientização, que haja a percepção da comunidade, dos governantes, do publico em geral, em relação a gravidade dessa situação.” Advertência constante de Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista.

 

No Brasil, o maior especialista da terapêutica com a vitamina D3 – o colecalciferol – é o neurologista Cícero Galli Coimbra, professor da Universidade Federal de São Paulo.

 

“Como toda doença autoimunitária, a esclerose múltipla aumentou muito nos dias atuais. Nosso nível de exposição solar é hoje quase o mesmo que o dos ratos de laboratório”, lembra Cícero Coimbra.(2)

 

Dr. Cícero Coimbra recomenda e avisa que a vitamina D3 com fins terapêuticos deve ser consumida sob rigorosa orientação médica, pois os níveis necessários para a eficácia do tratamento são muito mais altos do que os que se encontram nos produtos vendidos em farmácias. As doses elevadas de colecalciferol precisam de constantes exames, dieta alimentar isenta de laticínios e soja, rica em consumo de mais OVOS (no mínimo 3 por dia), frutas e verduras orgânicas, e hidratação diária de 2,5 litros de agua.  

 

“As mulheres adultas jovens são as principais vítimas da esclerose múltipla, doença que decorre da predisposição genética à baixa hidroxilase, isto é, ao baixo índice de transformação da vitamina D3 inativa em ativa, o que faz com que as células do sistema imunológico ataquem o sistema nervoso central ao invés de agredirem vírus e bactérias. Esses ataques ocorrem de modo intermitente, daí os surtos que caracterizam a doença”. Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista. (2)

 

 “Se não se corrigirem os níveis de vitamina D, a tendência é que, mesmo com o uso de Interferon, a pessoa vá acumulando surtos cada vez mais frequentes e sequelas. Com o tempo, perde-se o controle da bexiga, o que provoca infecções urinárias – e infecções também fazem com que ocorram novos surtos. A partir de então, o doente passa a ficar permanentemente acamado, situação que favorece problemas como broncopneumonia e outros” Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista. (2) 

(2) Cícero Galli Coimbra.  Vitamina D pode revolucionar o tratamento da esclerose múltipla* – http://biodireitomedicina.wordpress.com/2010/08/03/vitamina-d-pode-revolucionar-o-tratamento-da-esclerose-multipla/

O tratamento não se limita somente a esclerose múltipla. É usado  também em outras doenças autoimunes.

 

Cristiane Rozicki

Cr.rozicki@gmail.com

 ____ 

 

A vital importância do hormônio conhecido por Vitamina D3 para a preservação ou recuperação de sua saúde de doenças autoimunes: exijam que seus médicos se atualizem

23/12/2012 — Celso Galli Coimbra

 

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/23/vitamina-d3-e-sua-saude/

 

o Colecalciferol que é a Vitamina D3

 

  • Vitamina D – Por uma outra terapia (p/ a esclerose múltipla) – YouTube

https://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=erAgu1XcY-U

Em 2010, o jornalista começou o tratamento com vitamina D, que gerou bons resultados, segundo ele. Imediatamente, Daniel se questionou sobre o tratamento não ser divulgado. Por ser jornalista e motivado em divulgar o tratamento, ele fez um documentário.

 

“POR UM NOVO PARADIGMA DE CONDUTA E TRATAMENTO” – “Estamos vivendo uma defasagem entre o conhecimento científico e a prática médica” – Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., professor na Universidade Federal de São Paulo, Presidente do Instituto de Investigação e Tratamento de Autoimunidade

Publicado em dezembro 9, 2012

https://objetodignidade.wordpress.com/2012/12/09/por-um-novo-paradigma-de-conduta-e-tratamento-estamos-vivendo-uma-defasagem-entre-o-conhecimento-cientifico-e-a-pratica-medica-dr-cicero-galli-coimbra/

 

Vitamin D Council website

http://www.vitamindcouncil.org/

This website is for anyone interested in vitamin D

A vitamina ligada a doenças autoimunitárias

 

Campanha de órgão britânico incentiva suplementação de vitamina D

26/12/2012 — Celso Galli Coimbra

__

A suplementação de Vitamina D – Segundo especialistas, ela evitaria a incidência de doenças como diabetes , tuberculose, esclerose múltipla e raquitismo.

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/26/campanha-de-orgao-britanico-incentiva-suplementacao-de-vitamina-d/

 

Vitamina D: solução para doenças autoimunitárias e neurodegenerativas

https://objetodignidade.wordpress.com/2012/10/09/vitamina-d-solucao-para-doencas-autoimunitarias-e-neurodegenerativas-2/

 

Vitamina D – Sem Censura – Dr. Cicero Galli Coimbra e Daniel Cunha – 18.junho.2012

“Estamos vivendo uma defasagem entre o conhecimento científico e a prática médica” – Dr. Cicero Galli Coimbra

http://www.youtube.com/watch?v=cIwIWim4hNM&feature=plcp

 *Matéria publicada originalmente no Jornal do Advogado, edição de maio de 2010.

Vitamina D pode combater males que mais matam pessoas no mundo

http://biodireitomedicina.wordpress.com/category/doencas-autoimunes/

 

 Falta vitamina D pelo mundo

02/01/2013 — Celso Galli Coimbra

http://biodireitomedicina.files.wordpress.com/2013/01/vitamina-d-paises.jpg?w=780

 

Vitamin D status in a sunny country: Where has the sun gone?

“Estamos vivendo uma defasagem entre o conhecimento científico e a prática médica” – Dr. Cicero Galli Coimbra

https://objetodignidade.wordpress.com/2012/08/13/vitamin-d-status-in-a-sunny-country-where-has-the-sun-gone/

 

Referencias médico-cientificas de tratamento e prevenção com a Vitamina D, hormonio esteroide imunoregulador

https://objetodignidade.wordpress.com/2012/08/10/referencias-medico-cientificas-de-tratamento-e-prevencao-com-a-vitamina-d-hormonio-esteroide-imunoregulador/

 

Vitamina D: solução para doenças autoimunitárias e neurodegenerativas

16/07/2012 — Celso Galli Coimbra

fonte

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/07/16/vitamina-d-solucao-para-doencas-autoimunitarias-e-neurodegenerativas/

 

Informações médicas sobre a prevenção e tratamento de doenças neurodegenerativas

http://www.youtube.com/watch?v=yRQkITHjZ5k&feature=plcp

 

 

Campanha de órgão britânico incentiva suplementação de vitamina D

26/12/2012 — Celso Galli Coimbra

__

A suplementação de Vitamina D – Segundo especialistas, ela evitaria a incidência de doenças como diabetes , tuberculose, esclerose múltipla e raquitismo.

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/26/campanha-de-orgao-britanico-incentiva-suplementacao-de-vitamina-d/

 

Assista também à entrevista de junho de 2012, no Programa Sem Censura:
https://www.youtube.com/watch?v=cIwIWim4hNM&list=UU5grjCGNi25VAR8J0eVuxVQ…;;;;;;;;;;;;;; 

         

 

Segundo este artigo publicado em revista de pediatria americana, o autismo estaria relacionado com falta de vitamina D.

E parte do tratamento seriam suplementos de vitamina D.

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2013/01/02/vitamina-d-diminui-o-risco-de-autismo-nas-criancas-autism-prevalence-in-the-united-states-with-respect-to-solar-uv-b-doses-an-ecological-study/

—-

 

 

Entrevista em TV com o Dr. Cícero Galli Coimbra, professor neurologista da Universidade Federal de São Paulo – Unifesp.

“Comentário: a principal razão pela qual a medicina atual desdenha estes importantes conhecimentos médicos já antigos e com ampla fundamentação na história recente da medicina e confirmados em vários países, através de diversas publicações, é simplesmente porque ela está subordinada aos interesses extremamente gananciosos da indústria farmacêutica internacional. O SIMERS do RS costuma usar a frase de divulgação de sua existência como “A verdade faz bem para a saúde!”, nos meios de comunicação.”

“Cabe a pergunta: é verdade que os meios médicos gestores não ocultam a verdade já conhecida na medicina em prol de interesses estranhos aos dos pacientes?”

“Lembrem que há Resoluções do CFM proibindo a divulgação do conhecimento médico para a população e outras que simplesmente atropelam a realidade do conhecimento médico, como, por exemplo, a Resolução Resolução 1752/2004 do Conselho Federal de Medicina, hoje revogada, e que permitia o aborto dos anencéfalos,onde, em seus considerandos, redefinia morte encefálica como sendo morte cerebral e de exclusivo diagnóstico clínico.” [3]

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2008/12/29/anencefalia-morte-encefalica-e-o-conselho-federal-de-medicina/

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2010/08/03/vitamina-d-pode-revolucionar-o-tratamento-da-esclerose-multipla/

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2010/03/20/vitamina-d-pode-combater-males-que-mais-matam-pessoas-no-mundo/

[3] Celso Galli Coimbra – OABRS 11352
http://biodireitomedicina.wordpress.com/

——-

 

Sunlight, Vitamin D & Cancer

Celso Galli Coimbra·

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=mRnFVGoqus0

Baixos níveis do hormônio-vitamina D relacionados com dor de cabeça – Low vitamin D linked to headache

10/01/2013 — Celso Galli Coimbra

__

10 January 2013

Non-migraine headache is associated with vitamin D deficiency, according to researchers in Norway

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2013/01/10/baixos-niveis-do-hormonio-vitamina-d-relacionados-com-dor-de-cabeca-low-vitamin-d-linked-to-headache/

 

O Instituto da Autoimunidade, vinculado à terapia com o hormônio-vitamina D, foi criado pelo Dr. Cícero Galli Coimbra com a colaboração, inclusive, de ex-pacientes.

http://www.institutodeautoimunidade.org.br/

 

 

 

Vitamina D é um hormônio vital para preservação e recuperação da saúde Sim, mas para quem pode ficar meia hora no Sol, todos os dias, com os braços totalmente descobertos e de calção ou short que deixe a maior parte da pele das pernas exposta também. E isto antes das 10:00 horas da manhã ou depois das 16 horas da tarde. Tenha-se em conta também que estas condições de tempo de exposição variam de acordo com a idade e a cor da pele: o mínimo é cerca de 30 minutos, mas não para todos. Pessoas com pele com mais melanina tem que se exporem por mais tempo. E depois da juventude a produção pela pele do hormônio-vitamina D vai diminuindo sua capacidade. Países europeus já mandaram colocar este hormônio-vitamina D nos alimentos de uso diário, que passaram a ser conhecidos por “fortificados”.

Diante de nossa REALIDADE é impossível deixar de recorrer à suplementação e, ela deve ser exigida GRATUITAMENTE do Governo Federal.

 

Vitamina D é um hormônio vital para preservação e recuperação da saúde Soma-se a estes fatos que em cidades maiores, onde está [óbvio] a maior parte da população, a poluição interfere com este processo.

Deficiência de vitamina D na gravidez eleva risco de esquizofrenia – Low vitamin D in newborns linked to schizophrenia

11/01/2013 — Celso Galli Coimbra

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2013/01/11/deficiencia-de-vitamina-d-na-gravidez-e-em-recem-nascido-eleva-risco-de-esquizofrenia-low-vitamin-d-in-newborns-linked-to-schizophrenia/

 

 

Segundo este artigo publicado em revista de pediatria americana, o autismo estaria relacionado com falta de vitamina D.

E parte do tratamento seriam suplementos de vitamina D.

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2013/01/02/vitamina-d-diminui-o-risco-de-autismo-nas-criancas-autism-prevalence-in-the-united-states-with-respect-to-solar-uv-b-doses-an-ecological-study/

—-

 

 

 

Esclerose múltipla, distúrbio metabólico – atualizado em 7/janeiro/2013

em

https://objetodignidade.wordpress.com/2013/01/07/esclerose-multipla-disturbio-metabolico-atualizado-em-7fevereiro2013/

—-

 

Mais de 10 anos de tratamento com a Vitamina D – Exijam que seus médicos se atualizem!

Mais de 10 anos de tratamento com a Vitamina D – Exijam que seus médicos se atualizem!.

Dr. Celso Galli Coimbra

Mais de 10 anos de tratamento com a Vitamina D – Exijam que seus médicos se atualizem!

 

23/12/2012 —

 

Por Celso Galli Coimbra

 

 

Texto completo em

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2012/12/23/mais-de-10-anos-de-tratamento-com-a-vitamina-d-exija-que-seus-medicos-se-atualizem/

__

 

https://www.youtube.com/watch?v=fQN32qR_M2Y

Entrevistas com Junia, Márcia e Nayra sobre a experiência da família com o tratamento da vitamina D. Nayra descobriu a Esclerose Múltipla com 10 anos e é provavelmente uma das pacientes mais antigas tratando a EM com o Dr. Cícero Galli Coimbra.

Junia

***

Assista à série de vídeos, áudios e reportagens sobre a importância da Vitamina D:

Vitamina D3 – 10.000 UI diárias é vital para preservar à saúde

http://www.youtube.com/playlist?feature=edit_ok&list=PL301EAE2D5602A758

***

                                                                   

VITAMINA D e a RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO

 

ATENÇÃO: o uso preventivo do Vitamina D3 é DIFERENTE do uso terapêutico deste hormônio-vitamina,que exige sempre a orientação e acompanhamento de médico com treinamento adequado para ser responsável pela avaliação caso a caso e específica determinação de dosagem, em contrário haverá sérios danos à saúde.

(…)


Celso Galli Coimbra – OABRS 11352
cgcoimbra@gmail.com

__ 

A prescrição diária de 10.000 UIs de Vitamina D representaria para a indústria farmacêutica uma perda de 40% de uma receita de trilhões de dólares

A prescrição diária de 10.000 UIs de Vitamina D representaria para a indústria farmacêutica uma perda de 40% de uma receita de trilhões de dólares.

Dr. Celso Galli CoimbraA prescrição diária de 10.000 UIs de Vitamina D representaria para a indústria farmacêutica uma perda de 40% de uma receita de trilhões de dólares

15/01/2013 — Celso Galli Coimbra

Indústria Farmacêutica

__

http://biodireitomedicina.wordpress.com/2013/01/15/a-prescricao-diaria-de-10-000-uis-de-vitamina-d-representaria-para-a-industria-farmaceutica-uma-perda-de-40-de-uma-receita-de-trilhoes-de-dolares/

 

Assista

Dr. Cícero Galli Coimbra – Doenças Autoimunes e Vitamina D 

Vitamina D – Sem Censura – Dr. Cícero Galli Coimbra e Daniel Cunha

Vitamina D3 – 10.000 UI diárias é vital para à saúde

 

 

O Dr. John Cannell acusa pesquisadores da indústria farmacêutica norte-americana de estarem tentando alterar a molécula da vitamina D, para transformá-la em uma substância patenteável, ou seja, em remédio. A influência deles é tamanha, a ponto de se manterem unidos em comitês que “aconselham” o governo dos Estados Unidos a estabelecer a dose recomendável, entre 200 e no máximo 400 unidades por dia, bem aquém do necessário [SER, HOJE, EM DOSE PREVENTIVA 10.000 UI – NÃO MENOS].

A Indústria Farmacêutica promove doenças para as quais há prevenção e tratamento de baixo custo.

Há orientação para não verificação de níveis de Vitamina D. E quando prescritas, são em dose ínfima perto da necessária em prevenção: 10.000 UI

Além de prescrever doses mínimas, a maioria dos médicos sequer solicita dosagem da vitamina D no sangue.

O neurologista Cícero Galli Coimbra, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), remete às 32 mil publicações que relacionam a deficiência de vitamina D ao alto risco de câncer; das mais de 20 mil que associam o nível baixo ao diabetes; e das 17 mil que associam o mesmo déficit à hipertensão. “Mulheres com baixos níveis de vitamina D dificilmente engravidam, e quando engravidam, abortam no primeiro trimestre da gestação. Caso levem a gestação adiante, o bebê pode nascer com malformações congênitas.”
__

Segundo Coimbra, a vitamina D não pode ser considerada pelo fator nutricional porque a ciência tem demonstrado que a pele humana, exposta ao sol, se transforma em uma glândula endócrina, produtora do hormônio. A ideia de desenvolver um quadro de hipervitaminose ou envenenamento por vitamina D, que pode desencadear sintomas tóxicos, é pouco provável. Conforme o neurologista, existe desinformação generalizada não só entre a população geral, mas também na classe médica.

Confinamento

“Durante centenas de milhares de anos, o homem tem vivido com o sol; nossos ancestrais viveram mais frequentemente ao ar livre do que em ambientes fechados. Desenvolvemos dependência pela luz do sol para a saúde e a vida, de modo que a ideia de que a luz solar é perigosa não faz sentido. Como poderíamos ter evoluído e sobrevivido como espécie, se fôssemos tão vulneráveis a algo a que o ser humano tem sido exposto constantemente ao longo de toda a sua existência?”, indaga Frank Lipman, clínico geral e especialista reconhecido internacionalmente nos campos da Medicina Integrativa e Funcional.

Na mesma linha, Coimbra aponta o estilo de vida contemporâneo como o principal vilão da deficiência de vitamina D no organismo. Na sua opinião, as pessoas passam a frequentar os shopping centers em vez de ir aos parques. Saem de seus apartamentos, tomam o elevador que já dá acesso à garagem, entram em seus automóveis e chegam ao seu destino. Outra vez, garagem, elevador, local de trabalho. Ele diz que isso nunca aconteceu na história da humanidade. Hoje, uma pessoa é capaz de passar um ano inteiro de sua vida, sem expor uma nesga de sua pele ao sol. Vive de um ambiente confinado para outro.

“Mulheres com baixos níveis de vitamina D dificilmente engravidam, e quando engravidam, abortam no primeiro trimestre da gestação. Caso levem a gestação adiante, o bebê pode nascer com malformações congênitas.”

“Vitamina D: Produzido há pelo menos 750 milhões de anos, esse hormônio pode ser sintetizado não só pelos seres humanos, mas também por diversos organismos, inclusive os do fitoplâncton e zooplâncton, e outros animais que se expõem à luz.”

 

__

 

Nunca levamos a sério o termo “vitaminada”, usado durante muito tempo para definir uma pessoa forte, atraente, saudável. Pois deveríamos levar, principalmente se o sujeito em questão for alguém em dia com a vitamina D, uma substância que controla 229 genes de todas as células humanas.   Mas o valor desse hormônio,  considerado  hoje em dia um dos mais importantes  para a saúde humana, só foi descoberto em 2010. Sem vitamina D, a pessoa está sujeita a desenvolver uma lista enorme de doenças neurodegenerativas e autoimunitárias, como ParkinsonAlzheimer, esclerose múltipla, lupus, miastenia gravis, artrite reumatoide, psoríase e diabetes do tipo 1.

 

O neurologista Cícero Galli Coimbra, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), remete às 32 mil publicações que relacionam a deficiência de vitamina D ao alto risco de câncer; das mais de 20 mil que associam o nível baixo ao diabetes; e das 17 mil que associam o mesmo déficit à hipertensão. “Mulheres com baixos níveis de vitamina D dificilmente engravidam, e quando engravidam, abortam no primeiro trimestre da gestação. Caso levem a gestação adiante, o bebê pode nascer com malformações congênitas.”

Produzido há pelo menos 750 milhões de anos, esse hormônio pode ser sintetizado não só pelos seres humanos, mas também por diversos organismos, inclusive os do fitoplâncton e zooplâncton, e outros animais que se expõem à luz. A vitamina D é mensurada emInternational Units (IU), o que corresponde na língua portuguesa a Unidades Internacionais. A exposição ao sol de partes do corpo, como braços e pernas, por 20 minutos, garante a produção de aproximadamente 10 mil UI. É quase impossível obter a mesma    quantidade por meio da alimentação, pois a produção de 10 mil UI exigiria cerca de  100 copos de leite por dia.

Segundo Coimbra, a vitamina D não pode ser considerada pelo fator nutricional porque a ciência tem demonstrado que a pele humana, exposta ao sol, se transforma em uma glândula endócrina, produtora do hormônio. A ideia de desenvolver um quadro de hipervitaminose ou envenenamento por vitamina D, que pode desencadear sintomas tóxicos, é pouco provável. Conforme o neurologista, existe desinformação generalizada não só entre a população geral, mas também na classe médica.

Confinamento

“Durante centenas de milhares de anos, o homem tem vivido com o sol; nossos ancestrais viveram mais frequentemente ao ar livre do que em ambientes fechados. Desenvolvemos dependência pela luz do sol para a saúde e a vida, de modo que a ideia de que a luz solar é perigosa não faz sentido.  Como poderíamos ter evoluído e sobrevivido como espécie, se fôssemos tão vulneráveis a algo a que o ser humano tem sido exposto constantemente ao longo de toda a sua existência?”, indaga Frank Lipman, clínico geral e especialista reconhecido internacionalmente nos campos da Medicina Integrativa e Funcional.

Na mesma linha, Coimbra aponta o estilo de vida contemporâneo como o principal vilão da deficiência de vitamina D no organismo. Na sua opinião, as pessoas passam a frequentar os shopping centers em vez de ir aos parques. Saem de seus apartamentos, tomam o elevador que já dá acesso à garagem, entram em seus automóveis e chegam ao seu destino. Outra vez, garagem, elevador, local de trabalho. Ele diz que isso nunca  aconteceu na história da humanidade. Hoje, uma pessoa é capaz de passar um ano inteiro de sua vida, sem expor uma nesga de sua pele ao sol. Vive de um ambiente confinado para outro.

Nesse ritmo, no período do inverno, 77% da população paulistana está com nível baixo de vitamina D, o que melhora no verão, quando o índice cai para 39%. Enquanto isso, na Europa, a cada ano há 6% a mais de crianças com diabetes infanto-juvenil. Seduzidas pelas diversões eletrônicas, elas abandonam cada vez mais as atividades ao ar livre. “Os pais ficam satisfeitos porque elas estão longe da violência urbana, mas não percebem  que os filhos estão se transformando em diabéticos pelo resto da vida”, reforça o neurologista.

Em contrapartida, as pessoas idosas também fazem parte de um dos grupos mais suscetíveis à deficiência desse hormônio. Por exemplo, a  aposentadoria reduz suas saídas à rua, isso resulta em uma menor exposição solar. A pele dos idosos tem apenas 25% da capacidade de produzir vitamina D em relação a uma pessoa jovem de 20 anos. Ou seja, eles precisam de quatro vezes mais de exposição solar para produzir a mesma  quantidade de vitamina D, conforme Coimbra.

Outro agravante, as pessoas bloqueiam a radiação ultravioleta B, que auxilia na produção da “vitamina”, quando se lambuzam com protetores solares. Para se ter ideia, o fator de proteção solar número 8 diminui em 90% a produção de vitamina D. Já o fator 15 diminui em 99%, ou seja, praticamente zera a produção de vitamina D.

Horário ideal

LONGEVIDADE_BOB_DELMONTEQUE_scan0021c%20(2)_jpg

No reino animal, lagartos adoram tomar sol. E por uma razão muito simples, eles não são capazes de aquecer seus corpos sozinhos, sem a ajuda do ambiente externo. Enquanto isso, os seres humanos, para manter a temperatura ou para se aquecer, necessitam de agasalhos. A conclusão é: o mesmo Sol que aquece esses animais nos ajuda a produzir a vitamina D. Portanto, se ele nos traz esse benefício, não há motivo para temer os raios solares!

Segundo o neurologista, o horário ideal para tomar sol, o momento em que a radiação ultravioleta é mais positiva para produzir vitamina D, é aquele quando a sombra tem a mesma extensão que a estatura da pessoa. Atualmente, isso ocorre pela manhã entre 8h30 e 9 horas. O ideal é aguardar meia hora para passar o protetor solar, porque após esse tempo, com ou sem protetor, a criança e o adulto não vão mais produzir vitamina D.

O mesmo vale para quem optar pela exposição vespertina. No final da tarde, quando a sombra tiver a mesma extensão da estatura da pessoa, os raios solares voltam a ter a mesma qualidade benéfica para produzir vitamina D. “Ao meio-dia, o sol está a pino e a sombra não existe. O indivíduo não produz vitamina D, só câncer de pele”, alerta Coimbra.

Influência

Nos dias atuais, a Internet é um campo fértil para se manter informado sobre este assunto, embora não esteja à disposição de todos. Há centenas de artigos a respeito, mas, infelizmente, muitos deles estão disponíveis somente em inglês. É o caso do texto do neuropsiquiatra John Cannell (http://goo.gl/LlQOK). Ele acusa pesquisadores da indústria farmacêutica norte-americana de estarem tentando alterar a molécula da vitamina D, para transformá-la em uma substância  patenteável, ou seja, em remédio. A influência deles é tamanha, a ponto de se manterem unidos em comitês que “aconselham” o governo dos Estados Unidos a estabelecer a dose recomendável, entre 200 e no máximo 400 unidades por dia, bem aquém do necessário.

Além de prescrever doses mínimas, a maioria dos médicos sequer solicita dosagem da vitamina D no sangue. Coimbra ressalta que muitos  especialistas, que acompanham pacientes com osteoporose e recomendam essa quantidade de suplementação, ficariam surpresos ao constatar o quão baixo é o nível dessa substância no sangue.

Cannell denuncia exatamente isso. “Só deixando a pele dos braços e das pernas expostas, uma pessoa de pele clara e jovem produz 10 mil unidades de vitamina D. Essa quantidade é 50 vezes maior do que aquela colocada à disposição do público como suplemento de vitamina D, com o título da dose recomendada. Caso fosse prescrito metade disso (5 mil) para toda a população adulta, haveria redução em 40% da ocorrência de novos casos de câncer. Isso representaria para a indústria farmacêutica uma perda de 40% de uma receita de trilhões de dólares”, completa.

Saiba Mais:

Natural News
www.naturalnews.com

Vitamind Council
www.vitamindcouncil.org

Vitamin D Deficiency Survivor
pandemicsurvivor.com

Fonte: http://www.revistakalunga.com.br/geral/doses-diarias-de-sol/#more-779

__

Related articles

·         Baixos níveis do hormônio-vitamina D relacionados com dor de cabeça – Low vitamin D linked to headache(biodireitomedicina.wordpress.com)

·         Maior acesso a suplementos de vitamina D pode “eliminar casos de raquitismo” – Greater access to vitamin D supplements would ‘cut the cases of rickets’ (biodireitomedicina.wordpress.com)

·         Seu filho recebe Vitamina D suficiente? Does your child get enough vitamin D? (biodireitomedicina.wordpress.com)

·         Chile’s Ministry of Education to Integrate Vitamina Web-Based Instruction from Adaptive Curriculum into Online Education Portal (sys-con.com)

·         Níveis de Vitamina D e traumatismo encefálico – Vitamin D levels and traumatic brain injury(biodireitomedicina.wordpress.com)

Related articles

·         Níveis de Vitamina D e traumatismo encefálico – Vitamin D levels and traumatic brain injury (biodireitomedicina.wordpress.com)

·         Baixos níveis do hormônio-vitamina D relacionados com dor de cabeça – Low vitamin D linked to headache (biodireitomedicina.wordpress.com)

·         Seu filho recebe Vitamina D suficiente? Does your child get enough vitamin D? (biodireitomedicina.wordpress.com)

·         Chile’s Ministry of Education to Integrate Vitamina Web-Based Instruction from Adaptive Curriculum into Online Education Portal (sys-con.com)

·         Chile’s Ministry of Education to Integrate Vitamina Web-based Instruction From Adaptive Curriculum Into Online Education Portal (eschoolnews.com)

·         Maior acesso a suplementos de vitamina D pode “eliminar casos de raquitismo” – Greater access to vitamin D supplements would ‘cut the cases of rickets’ (biodireitomedicina.wordpress.com)

-30.039254 -51.216930

—-

 

“Há evidencias de que a carencia de vitamina D3 provoca e agrava a esclerose múltipla” (Surtos da doença abalam o sistema nervoso central). Assim, também a deficiencia de Colecalciferol – Vitamina D3 – pode levar a problemas Cardiovasculares, AVCs, nascimento de crianças autistas, problemas na gestação, Alzheimer.” – Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., neurocirurgião, neurocientista, professor na UNIFESP

 VitaminD1Vitamina D3 – 10.000 UI diárias é vital para à saúde

por Celso Galli Coimbra

vários videos  científicos 

https://www.youtube.com/playlist?list=PL301EAE2D5602A758

317853_345790278850356_1694943354_n

“Há evidencias de que a carencia de vitamina D3 provoca e agrava a esclerose múltipla” (Surtos da doença abalam o sistema nervoso central). Assim, também a deficiencia de Colecalciferol – Vitamina D3 – pode levar a problemas Cardiovasculares, AVCs, nascimento de crianças autistas, problemas na gestação, Alzheimer.”  – Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., neurocirurgião, neurocientista, professor na UNIFESP

 

 

 “SIM, todas as pessoas, uma pessoa adulta deveria receber cerca de 10.000 UI por dia, o que significa uma quantidade 50 vezes acima da quantidade que normalmente é encontrada nas farmácias.”

 

“TEM SOLUÇÃO SIM, É preciso haver uma conscientização, que haja a percepção da comunidade, dos governantes, do publico em geral, em relação a gravidade dessa situação”.

 

– Dr. Cicero Galli Coimbra, medico neurologista, Phd., neurocirurgião, neurocientista, professor na UNIFESP

 

Assista aos videos

Dr. Cícero Galli Coimbra – Doenças Autoimunes e Vitamina D

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=4uJt1361aGw

Vitamina D – Sem Censura – Dr. Cicero Galli Coimbra e Daniel Cunha

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=cIwIWim4hNM

—-

Os efeitos da deficiência de vitamina D3

xz

The Effects Of Vitamin D3 Deficiency

Apr 30, 2011 | By Lisa Sefcik

 

Lisa Sefcik has been writing professionally since 1987. Her subject matter includes pet care, travel, consumer reviews, classical music and entertainment. She’s worked as a policy analyst, news reporter and freelance writer/columnist for Cox Publications and numerous national print publications. Sefcik holds a paralegal certification as well as degrees in journalism and piano performance from the University of Texas at Austin.

Photo Credit Stockbyte/Stockbyte/Getty Images

Vitamin D is a fat-soluble vitamin that contributes to bone health and overall wellness. Vitamin D3 is the form of this essential nutrient that’s most closely tied to increased levels of vitamin D in the blood, says the University of Maryland Medical Center (UMMC). The effects of vitamin D deficiency can impact your health negatively and seriously. In children, it’s linked to rickets, while adults may suffer from osteomalacia.

More About Vitamin D

The U.S. Office of Dietary Supplements indicates that vitamin D isn’t naturally found in many foods; vitamin D3 is found in beef liver, cheese and egg yolks, while vitamin D2 is found in some types of mushrooms. Numerous foods, such as milk, orange juice and cereal, are fortified with vitamin D2, vitamin D3 or both. Vitamin D is also available in the form of dietary supplements. Vitamin D is also synthesized by your own body when the sun’s ultraviolet rays hit your skin. Children between the ages of 0 to 18 years need 400 to 600 IUs of this vitamin. Healthy adults need around 600 IUs, while those 70 and older need 800 IUs.

Sponsored Links

Curves Academia Feminina Fique Linda Com Apenas 30 min/dia. Concorra a 180 Planos Gratuitos! www.curves.com.br

Rickets

Vitamin D’s primary job is to help the body absorb the minerals calcium and phosphorus from the intestinal tract, reports the Mayo Clinic. Children who suffer a vitamin D deficiency lack adequate levels of these minerals in their bones. Children with rickets experience delays in growth, weak muscles and pain in the spine, pelvis and legs. Rickets presents itself in the form of skeletal abnormalities. Children with rickets may have bowed legs, breastbones that jut forward, thick ankles and wrists and abnormally curved spines. When rickets is left untreated, it can cause additional complications, such as bones that fracture easily, dental abnormalities, difficulty breathing, seizures and pneumonia.

Osteomalacia

When rickets occurs in adults, it’s called osteomalacia. According to the Mayo Clinic, in its earlier stages, you may be asymptomatic. As the disease progresses, adults notice aching in the bones, primarily in the hips, legs and lower back. This form of vitamin D deficiency may also cause muscle weakness and overall decreased muscle mass. Complications associated with osteomalacia include increased risk of bone fracture, especially to the spine, legs and ribs. Adults most likely to suffer from osteomalacia are those who get insufficient amounts of vitamin D from the food they eat and who also rarely or never go out in the sun.

Other Tips

According to the UMMC, researchers are exploring the link between low levels of vitamin D and other conditions, such as high blood pressure, depression, obesity and certain types of cancer. If you’re concerned that you’re not getting enough vitamin D, consult with your treating physician rather than self-treating with dietary supplements. Vitamin D toxicity can cause hypercalcemia, a condition in which calcium builds up in your blood, resulting in symptoms such as nausea, constipation, kidney stones, weakness and an abnormal heart rhythm.

 

References

Article reviewed by Mona Newbacher Last updated on: Apr 30, 2011

Read more: http://www.livestrong.com/article/431595-the-effects-of-vitamin-d3-deficiency/#ixzz2HmCldMdt

—-

Dose Diária de vitamina D ajuda a reduzir quedas em idosos

1924_seniors_on_grassDaily vitamin D helps reduces falls in elderly

04 January 2013

A recent meta-analysis by Gilbert T. Chua and Roger Wong, MD, finds that daily vitamin D supplementation helps reduce falls among seniors living in long term care facilities.

http://www.vitamindcouncil.org/daily-vitamin-d-helps-reduces-falls-in-elderly/

The researchers conducted a review of 4 randomized controlled trials examining long term care seniors with mean or median age of 75 years or older. Among the 4 studies, three administered oral vitamin D ranging from 800-1,000 IU/day, while the fourth study prescribed 100,000 IU oral vitamin D every 3 months (~1,100/day).

The authors report a 28% reduction in the number of falls per person, per year. When looking at only the daily dosage studies, there is a significant (44%) reduction in the number of falls. “This indicated that daily high dose vitamin D is more effective than quarterly supratherapeutic [above the therapeutic level] doses in reducing fall rate,” the authors explain.

They also found that vitamin D didn’t seem to reduce the number of people who fell, in other words, supplementation didn’t prevent a person’s first fall, but seemed to prevent people from falling again.

The researchers call for future prospective trials comparing various vitamin D dosages to gain further insight into the link between vitamin D dosage and fall prevention.

Source:

Chua GT, Wong RY. Association between vitamin D dosing regimen and fall prevention in long-term care seniors. Canadian Geriatrics Journal. Dec 2011.

Page last edited: 04 January 2013

—-

The Effects Of Vitamin D3 Deficiency

The Effects Of Vitamin D3 Deficiency

Apr 30, 2011 | By Lisa Sefcik

 xz

Lisa Sefcik has been writing professionally since 1987. Her subject matter includes pet care, travel, consumer reviews, classical music and entertainment. She’s worked as a policy analyst, news reporter and freelance writer/columnist for Cox Publications and numerous national print publications. Sefcik holds a paralegal certification as well as degrees in journalism and piano performance from the University of Texas at Austin.

Photo Credit Stockbyte/Stockbyte/Getty Images

Vitamin D is a fat-soluble vitamin that contributes to bone health and overall wellness. Vitamin D3 is the form of this essential nutrient that’s most closely tied to increased levels of vitamin D in the blood, says the University of Maryland Medical Center (UMMC). The effects of vitamin D deficiency can impact your health negatively and seriously. In children, it’s linked to rickets, while adults may suffer from osteomalacia.

More About Vitamin D

The U.S. Office of Dietary Supplements indicates that vitamin D isn’t naturally found in many foods; vitamin D3 is found in beef liver, cheese and egg yolks, while vitamin D2 is found in some types of mushrooms. Numerous foods, such as milk, orange juice and cereal, are fortified with vitamin D2, vitamin D3 or both. Vitamin D is also available in the form of dietary supplements. Vitamin D is also synthesized by your own body when the sun’s ultraviolet rays hit your skin. Children between the ages of 0 to 18 years need 400 to 600 IUs of this vitamin. Healthy adults need around 600 IUs, while those 70 and older need 800 IUs.

Sponsored Links

Curves Academia Feminina Fique Linda Com Apenas 30 min/dia. Concorra a 180 Planos Gratuitos! www.curves.com.br

Rickets

Vitamin D’s primary job is to help the body absorb the minerals calcium and phosphorus from the intestinal tract, reports the Mayo Clinic. Children who suffer a vitamin D deficiency lack adequate levels of these minerals in their bones. Children with rickets experience delays in growth, weak muscles and pain in the spine, pelvis and legs. Rickets presents itself in the form of skeletal abnormalities. Children with rickets may have bowed legs, breastbones that jut forward, thick ankles and wrists and abnormally curved spines. When rickets is left untreated, it can cause additional complications, such as bones that fracture easily, dental abnormalities, difficulty breathing, seizures and pneumonia.

Osteomalacia

When rickets occurs in adults, it’s called osteomalacia. According to the Mayo Clinic, in its earlier stages, you may be asymptomatic. As the disease progresses, adults notice aching in the bones, primarily in the hips, legs and lower back. This form of vitamin D deficiency may also cause muscle weakness and overall decreased muscle mass. Complications associated with osteomalacia include increased risk of bone fracture, especially to the spine, legs and ribs. Adults most likely to suffer from osteomalacia are those who get insufficient amounts of vitamin D from the food they eat and who also rarely or never go out in the sun.

Other Tips

According to the UMMC, researchers are exploring the link between low levels of vitamin D and other conditions, such as high blood pressure, depression, obesity and certain types of cancer. If you’re concerned that you’re not getting enough vitamin D, consult with your treating physician rather than self-treating with dietary supplements. Vitamin D toxicity can cause hypercalcemia, a condition in which calcium builds up in your blood, resulting in symptoms such as nausea, constipation, kidney stones, weakness and an abnormal heart rhythm.

 

References

Article reviewed by Mona Newbacher Last updated on: Apr 30, 2011

Read more: http://www.livestrong.com/article/431595-the-effects-of-vitamin-d3-deficiency/#ixzz2HmCldMdt

—-

%d blogueiros gostam disto: